Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Sociedade E Notícias>Cultura>Resumo de O PAPEL DO ASSISTENTE SOCIAL EM ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS E DO TERCEIR

O PAPEL DO ASSISTENTE SOCIAL EM ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS E DO TERCEIR

Resumo do Artigo   por:Nepomuc     Autor : Jorgete Leite Lemos
ª
 
O PAPEL DO ASSISTENTE SOCIAL EM ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS E DO TERCEIRO SETOR

O assistente social continua a ser requisitado pela empresa para intermediar as relações entre o trabalho e a vida particular do operário, o que muda é que essa ação está cada vez mais consolidada e integrada às estratégias de competitividade, baseada em uma política de parceria entre empresa e trabalhador.

No início da atuação do Assistente Social nas organizações empresariais, esse profissional representava o relacionamento, atitudes e comportamentos expressos pela sociedade entre as suas diversas segmentações.

Assim, a ação do Assistente Social se confundia com a ação das senhoras participantes das organizações filantrópicas, que pressupunham o ser humano carente, como sujeito à sua ação corretiva, caritativa.

Hoje é sabido que o Assistente Social atua nas organizações como assessor dos gestores auxiliando-os na identificação das tais condicionantes e gerando soluções para que as interações sejam finalizadas em sinergia.

Ele não é um profissional eminentemente operacional. Este é um dos mitos que precisam ser reposicionados. O Assistente Social é um estrategista social.

No âmbito do desenvolvimento sustentável e o da sustentabilidade corporativa, o Assistente Social subsidia a organização na formulação de políticas de gestão das pessoas, demonstrando o impacto nos resultados de produtividade, lucratividade, qualidade e imagem corporativa, decorrentes da qualidade dos seres humanos nessa organização humana-empresa.

O Assistente Social monitora as interações e o clima decorrentes dessas interações e subsidia as decisões estratégicas da empresa, proativa e preventivamente.

Já quanto ao desenvolvimento econômico, as ações são mensuráveis, com indicadores de conhecimento e acesso fácil pelos gestores, demonstrando impacto no negócio. Dentre eles podemos citar o absenteísmo, “presenteísmo” ou falta de engajamento, doenças organizacionais, sinistralidade decorrente dessas doenças e acidentes, rotatividade de pessoal, conflitos de relacionamento na hierarquia em linha vertical e horizontal, entre muitos dos fatores sociais, aos quais denominamos de Riscos Sociais.

A importância do Assistente Social é percebida quando além de identificar condicionantes internas e externas à empresa, geradoras de situações sociais de risco, estende essa informação aos seus pares, os gestores das áreas clientes internas e aos demais processos de gestão de pessoas (Atração, Retenção, Engajamento e Transição), para análise e ação integradas apoiadas na transdisciplinaridade.

Atualmente as organizações têm suas práticas pautadas em normas e pactos globais que situam o econômico, o social e o ambiental em um mesmo patamar de importância. Por isto, o Assistente Social precisa atualizar-se e ter sua prática interagindo com essas outras áreas formadoras do “triple bottom line”.

A contribuição do Serviço Social e do Assistente Social para o desenvolvimento sustentável e sustentabilidade corporativa está no enraizamento de valores e cultura de autopreservação do ser humano, de todos os seres vivos e da transcendência de organizações humanas saudáveis.

São alvos da ação profissional do Assistente Social, tanto a ONG, que precisa de profissionalização na sua gestão, quanto o Voluntariado que recebe a assessoria na formulação de projetos de desenvolvimento social,como também o público-alvo desses projetos, a sociedade em geral e em particular, aquelas segmentações que demandam ações inclusivas,efetivas.

O terceiro setor é outra área que tem contratado os assistentes sociais que diante da programática neoliberal de minimizar o papel do Estado como principal prestador dos serviços sociais, tem assumido alguns setores deste segmento. O Estado contrata determinado projeto e é a partir desta relação de trabalho que é construída em padrões extremamente precários, sem garantia de prorrogação do contrato.

Na esfera privada outro campo em crescimento é a chamada “filantropia empresarial”, que consiste na tentativa de ação social por parte das chamadas empresas “solidárias”. A lógica que move estes empreendimentos nada tem a ver, nem com a pura preocupação com o bem-estar do próximo, e nem com as conquistas constitucionais, tais programas expressam a lógica de mercado. Não representando assim estabilidade aos assistentes sociais, pois depende da disposição da empresa em manter ou não os investimentos nos programas em questão.

AUTOR: Jorgete Leite Lemos

SITE:

Publicado em: 26 janeiro, 2012   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    Quais são as atribuições de um assitente social em um canteiro de obra (Odebrecht)? É acompanhar doentes no atendimento clínico? É marcar consultas e exames pelo SUS? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    mediador e nao impositor Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Ogostaria de saber, quais seriam as atribuições de um assistente social, em um cateiro de obra como por exemplo a Odebrecht. Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.