Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Sociologia>Resumo de Violência Contra a Mulher

Violência Contra a Mulher

Resumo do Artigo   por:ZithusMonteiro     Autor : Rosana Madjarof
ª
 
É repugnante falar de um tema como esse, mas, infelizmente o presenciamos todos os dias nas mídias: televisiva, radiofônica e escrita. Quem de nós, já não teve uma parenta; uma irmã ou uma vizinha envolvida nesse tipo de situação?
Perante tão delicado assunto, os professores da Universidade São Marcos, resolveram proferir uma palestra com o título: "Violência Contra a Mulher". A mesma ocorreu em 10.11.2000.
O que seria agressão contra a mulher? Só lesão corporal? Não! Existem outros meios de coagir: pequenas ofensas verbais e morais. Algumas vêzes, os danos superam até mesmo a dor física.
O homem, nos lares, ainda, se acha o "rei'. E, ele, se aproveita desse falso título imposto por um arraigado preconceito da sociedade para ditar regras, mandar, dominar, espancar e estuprar.
Os finais de semana, são os dias preferidos para o seu deleite: vai para o botequim, 'enche a cara de cachaça', volta para casa e se sentindo o todo poderoso, muitíssimas vêzes extrapola e comete atrocidades contra os membros da sua família, em especial, a sua companheira.
Na segunda-feira, dia de fazer a queixa na Delegacia da Mulher. Fazer exame de corpo delito, no IML, quiçá, uma autópsia no mesmo instituto. E, se nenhuma medida contra o agressor for tomada, na semana seguinte, com certeza, o ciclo se repetirá.
E, se a mulher, cansada de tantos espancamentos e humilhações, investe contra o seu agressor, levando-o à morte? A justiça será complacente com a mesma?
Temos o dever de acabar com a violência contra a criança/mulher; a adolescente/mulher; a jovem/mulher; a pobre mulher; a rica/mulher.
A agressão, não escolhe raça, idade e classe social. Pobres ou ricas, todas, acabam niveladas pela dor e o aviltamento.
Devemos cobrar do Estado, as providências para a solução do problema de agressão contra a mulher. Não podemos nos omitirmos e calarmos.
Devemos agir. Falar e gritar. Afinal, não podemos permitir que a mulher continue vivendo "entre tapas e beijos".

Publicado em: 24 janeiro, 2009   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    Geralmente acontece mais , com mulheres de classe mais baixas ?! Verdade ? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    nessa pesquisa fala tudo sobre lei maria da Penha contra violência contra mulheres e preconceito Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
  1. 1. elosabariego

    Olá ! cheguei até aqui!

    Adorei o que vc postou! Parabéns,amigo! me inscrevi...e estou por aqui por perto! beijos

    0 Classificação sábado, 24 de janeiro de 2009
X

.