Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Psicologia>Resumo de Representação de Coisa x Representação de Palavra (Psicanálise)

Representação de Coisa x Representação de Palavra (Psicanálise)

Resumo do Artigo   por:WeldonParish    
ª
 
A distinção entre representação de coisa e representação de palavra tem origem nas pesquisas do jovem Freud sobre a afasia (perda do poder de expressão pela fala e pela escrita). São expressões utilizadas por Freud nos seus textos metapsicológicos para distinguir tipos de representações: a representação de coisa, essencialmente visual, e a representação de palavra, essencialmente acústica. Esta distinção tem para Freud um alcance metapsicológico, pois a junção entre a representação de coisa e a representação de palavra correspondente caracteriza o sistema secundário (pré-consciente - consciente), ao contrário do sistema primário (inconsciente), que só compreende traços mnésicos de coisa.

Desde o "Projeto Para uma Psicologia Científica - 1895" encontramos a idéia de que associando-se a uma imagem o conteúdo verbal, a lembrança pode adquirir o seu "índice de qualidade" específico da consciência. Esta idéia permanecerá constante em Freud e é fundamental para compreendermos a passagem de um impulso, de uma pulsão do sistema primário (inconsciente), puramente visual, para o processo secundário (consciente), ou seja, da identidade de percepção (inconsciente) para a identidade de pensamento (consciente). A representação pré-consciente engloba a representação de coisa e de palavra correspondente, além das demais representações (táteis, olfativas e aquelas ligadas ao paladar), enquanto a representação do inconsciente é apenas de coisa (visual). Desta forma, nas representações pré-conscientes, teremos sempre a memória dos cinco sentidos (visão, audição, tato, olfato e paladar), já no inconsciente, em princípio, só temos as visuais.
Publicado em: 26 janeiro, 2011   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.