Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Psicologia>Resumo de Traço Mnésico (Freud - Psicanálise)

Traço Mnésico (Freud - Psicanálise)

Resumo do Artigo   por:WeldonParish    
ª
 

Ao longo de sua obra, Freud utiliza a expressão "traço mnésico (ou mnêmico)" para designar a forma como os estímulos se inscrevem na memória, depositados nos diversos sistemas (inconsciente, pré-conscinte e consciente).

Na própria memória, Freud introduz a distinção tópica. Um dado acontecimento inscreve-se em diversos sistemas mnésicos simultâneamente. No livro "Estudos Sobre a Histeria", Freud compara a organização da memória a arquivos complexos onde as lembranças se arrumam segundo diversos modos de classificação: ordem cronológica, ligação em cadeias associativas, grau de acessibilidade à consciência. Na carta a W.Fliess e no capítulo VII de "A Interpretação dos Sonhos", Freud retoma de forma mais doutrinal a concepção de uma sucessão ordenada de inscrições em sistemas mnésicos (estratificação da memória em sistemas), e a distinção entre pré-consciente e inconsciente é assimilada a uma distinção entre dois sistemas, um claro e outro escuro (fora da consciência). Muitas vezes, os traços do sistema inconsciente não conseguem chegar livremente à consciência devido a ação restritiva do Ego, ao passo que as lembranças pré-conscientes (a memória no sentido corrente do termo) podem ser facilmente acessadas e atualizadas. No inconsciente, todas as memórias subsistem de forma permanente. No pré-consciente, serão eternas caso se consolidem (por repetição ou investimento), e serão reativadas se forem investidas por novos estímulos que fazem o ego exercer um grau de consciência desses conteúdos psíquicos.


Em resumo, o traço mnésico, para Freud, seria registrado em sistemas diferentes, acessível de forma livre (pré-consciente) ou não (inconsciente). O acesso à memória se daria de maneiras diferentes: por cronologia ou associação. O traço mnésico seria, na psicanálise, o registro puro (sem carga emocional), diferenciando-se desta forma do conceito de representação.

Publicado em: 24 janeiro, 2011   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.