Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Psicologia>Resumo de Mecanismos de Defesa do Ego

Mecanismos de Defesa do Ego

Resumo do Artigo   por:Caramuru666     Autor : Sigmund Freud
ª
 
Já os processos do Ego têm como mecanismos de defesa:

• Anulação: mecanismo no qual invalida uma ação ou um desejo anteriormente válido. Frequentemente usado por quem tem transtornos obsessivos. Por exemplo, alguém que pensa que pode ocorrer um acidente e, para se livrar do pensamento, bate três vezes na madeira. O pensamento geralmente é onipotente e não está relacionado com a realidade.
• Anulação retroativa: semelhante a anulação, mas para se livrar do pensamento negativo, a pessoa tem q fazer uma ação sempre semelhante, como se o pensamento se processasse em unidades.
• Cisão ou dissociação: mecanismo pelo qual um grupo de sentimentos/pensamento é separado de um outro grupo de pensamentos/sentimentos. Ocorre quando um grupo é tido com bom e outro como ruim. É uma forma de defesa que evita a angústia de pensar mal de quem se pensa bem. Assim, a dissociação faz o indivíduo não sentir culpa por ter pensamentos mal de algo bom.
• Formação reativa: mecanismo pelo qual a pessoa vai expressar uma tendência oposta ao que estava expressando anteriormente.
• Idealização: mecanismo pelo qual o indivíduo exagera os aspectos positivos do objeto, visando se proteger de uma angústia. Por exemplo, pessoa que tem “santo forte”.
• Identificação: é um mecanismo geralmente não defensivo que faz a pessoa se sentir acolhida a outra pessoa ou grupo. Mas se ocorre um exagero desta aproximação, a pessoa pode estar provavelmente fazendo uma identificação com intuito de se defender da pessoa.
• Introjeção: mecanismo onde o objeto externo se torna efetivo internamente. Uma ordem externa passa a fazer parte do próprio indivíduo, como um valor seu.
• Projeção: mecanismo oposto à introjeção. A pessoa vai atribuir a objetos externos aspectos psíquicos que lhe são próprios, mas não são reconhecidos como seus. Necessariamente, antes da projeção vem um mecanismo de negação.

A introjeção e a projeção estão intimamente ligadas com a identificação, formando assim dois mecanismos: 

    a) Identificação projetiva: projeta-se uma característica própria no outro e se identifica com ela.(ex:     torcedor de futebol). 
    b)Identificação introjetiva: introjeta características do outro e se identifica. Por exemplo, uma pessoa fã de Fórmula 1 e que tem um piloto como ídolo e, ao vê-la ganhar, sai de carro dirigindo como o piloto. È mais típico em pessoas que se sentem inferiorizadas e precisam de ídolos.

• Inversão ou transformação ao contrário: mecanismo que muda de ativo para passivo a conduta apresentada pela pessoa. Assim, modificando sua postura de ativa para passiva, a pessoa alivia sua angustia por tal conduta. Por exemplo, uma pessoa que sente culpa por observar pessoas de sua família sonha que está vendo pessoa de sua família se exibirem para ele, tornando-se passivo da situação e aliviando a culpa.
• Isolamento: mecanismo no qual o indivíduo separa a idéia do afeto pelo qual ela estaria unida. Assim, a idéia torna-se inócua, neutra. O afeto pode acabar aparecendo sem a idéia (o indivíduo experimenta crises de angústia sem saber o porquê) e vice-versa. É um mecanismo comum em pacientes terminais, onde a pessoa sabe que vai morrer, mas narra sua doença como se não ocorresse com ela.
• Negação: mecanismo no qual o indivíduo dá como inexistente um pensamento ou sentimento que, caso ele admitisse, causaria grande angústia. Este mecanismo é precessor de diversos outros mecanismos de defesa como a projeção.
• Racionalização: mecanismo onde o indivíduo cria uma justificativa falsa para não reconhecer a justificativa verdadeira.
• Reparação: consiste na reestruturação do objeto que foi danificado. Por exemplo, um indivíduo que xinga uma entidade religiosa, sente-se culpado e passa a rezar para restaurar o que fez e não mais sentir culpa.
• Propiciação: é uma falsa reparação. Por exemplo, uma pessoa sente-se culpada por não ter doado alimentos para pessoas necessitadas e deixa de comer como uma forma de reparar.
• Repressão: mecanismo que consiste em afastar e manter afastado da consciência alguma idéia penosa. Há dois tipos de repressão: Primária: que é inconsciente e equivale a negação. Secundária: é consciente. O indivíduo sabe que algo está lhe ameaçando, mas evita de qualquer forma que tal conteúdo venha à consciência.
• Sublimação: mecanismo pelo qual o indivíduo desagressiva a energia agressiva ou dessexualiza a libido, transformando-as em algo socialmente aceito. A energia perde seu caráter.
• Volta contra o eu: mecanismo que consiste num redirecionamento do impulso onde o objeto é o próprio indivíduo. Utilizado no caso do sadismo. Por exemplo, a alguém que faz algo agressivo a outro, sente-se culpado e passa a se auto-agredir. O narcisismo utiliza-se desse mecanismo, mas de forma não defensiva.
Publicado em: 10 junho, 2009   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    exemplos de cada mecanismo para se entender melhor cada um Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    regressão Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.