Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Educação>Resumo de A formação da cidadania em uma sociedade da informação

A formação da cidadania em uma sociedade da informação

Resumo do Artigo Científico   por:lufalcao     Autor : Luzia Aparecida Falcão Costa
ª
 
Tendo-se como prerrogativa que cada homem é capaz de criar sua própria realidade, pressupõe- se então que, cada indivíduo possui recursos próprios de compreensão e interpretação da realidade que o rodeia, podendo ou não torná-la lógica e significativa para si mesmo e para os demais indivíduos. Por isso é tão importante que seja desenvolvido o processo de conscientização, para que ele possa melhor compreender, analisar e interpretar todas as dimensões dessa mesma realidade, favorecendo sua interação, organização social e também a busca das reais dimensões de possibilidade e necessidade individuais. Ao agir dessa forma, tenderá a encontrar formas de superá-las através dessa interação contínua com os demais membros do ambiente sociocultural ao qual pertence, entendendo que os significados são culturalmente compartilhados e que fazem parte do processo de assimilação do conhecimento. Ao adquirir o gradativo conhecimento do mundo, seja via formal ou informal, digital e, principalmente, a partir se suas próprias experiências vividas, vai se formando, em cada indivíduo, o indispensável conceito de moralidade e de cidadania. Esse dois conceitos encontram-se tão entrelaçados na sociedade atual, em função especialmente do processo de deterioração dos poderes legislativo, executivo e judiciário nacionais, o que tem tornado mais difícil o diálogo e o debate a respeito deles com os jovens atuais, já que não se consegue contar com nenhum indicador fidedigno de postura ética, de moralidade e de efetivo exercício da cidadania, justamente naqueles que, a priori, deveriam estar apresentando bons exemplos a serem seguidos e, assim, aprimorando o amor pátrio e o exercício da cidadania. Por outro lado, vale ressaltar que todo homem necessita se sentir integrado a determinadas associações, pois são elas que, gradativamente, vão fazendo com que ele se torne um ser político, assumindo seus deveres, mas, também, garantindo seus direitos, principalmente estes que estão diretamente vinculados ao conceito de igualdade, um dos grandes pilares de sustentação da democracia. No entanto, não há como deixar de reconhecer que dentro de toda sociedade humana sempre impera uma determinada estratificação social que, obviamente, acentua o sistema de desigualdade que permeia a vida dos cidadãos, fazendo com que direitos sociais venham sendo excluídos e minando a já restrita influência que o indivíduo possui para diminuir tais desigualdades. No entanto, não se pode perder de vista a idéia de que cidadania vem sempre atrelada a três princípios básicos, que são constituídos pelos direitos civis que se reportam à liberdade individual e que, portanto ,deveriam representar os direitos do indivíduo na sociedade a que pertence; os direitos políticos, que estão diretamente vinculados ao exercício do poder, conquistados pelo direito ao voto, candidatura e, caso o indivíduo seja eleito, que seja investido de autoridade por se tornar representante legal da comunidade que representa; os direitos sociais, que estão inclusos no direito de usufruir do bem-estar social e econômico, que permita a todos um padrão mínimo de sobrevivência e que lhes garanta a dignidade humana.
Esses elementos não são difusos, pois agem de forma compartilhada e são sempre dependentes das peculiaridades e historicidade que determinado povo apresenta. Pode ser citado atualmente, o direito à educação no Brasil, para melhor explicitar tal situação. Embora as vagas para crianças e jovens estejam garantidas, no entanto a eles não está sendo oferecido um ensino de qualidade e é óbvio que este fato já deforma todo os preceitos anteriormente citados sobre o real significado de cidadania. Se a sociedade atual enfatiza e salienta a importância do conhecimento, é plenamente identificável que a educação não vem cumprindo seu papel quanto à formação humana e nem ao preparo para o exercício da cidadania. Quando se constata que nem sequer os professores possuem capacitação e nem qualificação para ensinar seis alunos a ler e escrever corretamente, a construção da idéia de cidadania parece ter ficado totalmente fora de foco. Obviamente, esses novos seres em formação não conseguem ampliar suas interpretações da realidade, do repertório cultural que os rodeia, pois não possuem o necessário domínio dos códigos lingüísticos e, assim, isso só têm favorecido a ampliação dos processos de alienação do saber, já que lhes foi obstruída a capacidade de reflexão e implementada a cultura do silêncio (sujeito passivo).Impedido de se voltar para a transformação de si mesmo e de sua realidade, passa a ser mais um ser que foi contaminado, manipulado e direcionado pela ideologia vigente, determinado a viver uma falsa consciência de si mesmo e da própria realidade do que o cerca. Daí a relevância a ser dada à abertura de espaços para a ação dialógica,, que facilite a busca de novas soluções para esses novos disparates sociais. A maior delas, talvez, seja buscar encontrar um modelo educacional que seja realmente eficiente e que priorize a formação do real cidadão, consciente de que pode e deve ser um agente transformador dessa realidade deturpada que a sociedade vem impondo para a formação de sua identidade. Se essa cidadania fosse realmente assegurada, não se presenciaria tanto descaso com relação ao futuro dessas crianças e jovens, bem como quanto ao conhecimento devido e necessário para que estejam aptos para reconhecer que todos são imbuídos de dignidade e que esta vem sendo dissipada, justamente porque nem mesmo a sobrevivência lhe vem lhes sendo garantida, pois, para uma sociedade capitalista o que importa é a produtividade, a competitividade e não o respeito aos direitos humanos, sejam eles de que ordem for.
Publicado em: 26 março, 2009   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    o que e cidadania em sociedade ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    Ser cidadão significa ser um indivíduo que tem seus direitos plenos respeitados pela sociedade em que vive e se desenvolve; ao mesmo tempo, deve agir de acordo com as normas preceitoseque a regulamentam. terça-feira, 10 de maio de 2011
  1. Responda   Pergunta  :    qual o conceito de moralidade e cidadania na sociedade da educação? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    Moralidade, na sociedade ocidental, sempre esteve atrelada à ética, a questões de ordem pessoal que não sejam trangressoras de valores básicos para que haja um convívio saudável, solidário e fraterno. À medida que tais valores vêm sendo desprezados, tem-se observado a quebra constante de regras vigentes, padrões de conduta que enfatizam a alteridade, trazendo como consequência o aumento gradativo da violência e da ausência total de respeito humano a partir, especialmente do âmbito familiar. segunda-feira, 25 de outubro de 2010
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.