Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Resumo de DENGUE MATA NO BRASIL: UMA LEITURA DE MUNDO

DENGUE MATA NO BRASIL: UMA LEITURA DE MUNDO

Resumo do Artigo   por:Juruti     Autor : Raimundo da Silva Santos Júnior
ª
 
DENGUE MATA NO BRASIL: UMA LEITURA DE MUNDO Autor: Raimundo da Silva Santos Júnior (Juruti) Em: 03 de abril de 2008 A Dengue mata crianças no Brasil, mas o que mata mais ainda é a falta de sensibilidade humana por parte de nossos gestores públicos. Se o que afirmo não é verdadeiro ou não puder ser aceito pelo caro leitor, somente restará dizer que é a falta de preparo para administrar os desafios de um país tropical a maior causa dessa chacina. A precariedade do Sistema de Saúde Pública Brasileiro, seja esta em nível dos recursos materiais, visto que os menos favorecidos muitas vezes são obrigados a esperar a morte chegar por não terem condições de pagar por um atendimento especializado, a fila de espera é superior a quinze dias; seja em nível intelectual, há pouca gente no poder administrativo refletindo e fazendo algo de fato pela melhoria da qualidade de vida coletiva. Com todo o descaso histórico não dá para acreditar que aqueles que representam a Saúde Pública do Brasil têm trabalhado pelo bem comum. Também pudera, vivemos um processo de desumanização acelerado. Nosso capitalismo selvagem tem nos deixado ilhados em nossas individualidades. A epidemia de dengue no Rio de Janeiro é uma alerta de que nosso Sistema de Saúde Pública tem realizado pouco em ações preventivas, é muito blá, blá, blá e pouca ação de fato. Esses problemas são reflexos do desvalor dado à educação. Somos sabedores que o grande segredo para se evitar gastos desnecessários ou exagerados em saúde pública é realizar um investimento comprometido com a melhoria da qualidade da educação. Sendo assim, ninguém assume a responsabilidade com o caos, a culpa está sendo jogada sobre as vítimas, já não é novidade ouvirmos que a grande culpada é a população, ao olhar até de alguns cidadãos considerados intelectuais críticos a população não tem feito sua parte, não tem evitado os criadouros do mosquito Aedes aegypti. Na verdade a parte que a população não tem feito e concernente a sua participação nas tomadas de decisões governamentais, sobre este aspecto ainda retomarei adiante. O Aedes aegypti está tendo tempo suficiente de se fortalecer através de mutações que podem lhe oferecer maior resistência á tóxicos ainda considerados eficientes em seu combate.
Chegamos a um surto epidêmico que poderia ter sido evitado se tivéssemos realizado um trabalho sério. O problema é nosso, pois somos nós os chamados intelectuais que precisamos aumentar nossa disposição em formar uma sociedade mais crítica, que exija seus direitos, sabedores de seus deveres sociais. Chegamos a esse ponto porque participamos pouco da administração pública. A verdade é que estamos em uma democracia representativa onde nosso voto legitima nossos representantes que ao assumirem a posição de representantes da população, esquecem de ouvir tal população. Pluralizando mais ainda, temos um grupo de representantes que tomam decisões desconexas às reais necessidades da população que os elegeu. Quem não assistiu a guerra pela derrubada da CPMF, quem institui foi o mesmo que retirou, com o objetivo de prejudicar o Governo, sem nenhuma preocupação com as retaliações que a população sofreria no futuro. A desorganização no combate à doença tem sido o ecossistema favorável ao mosquito Aedes aegypti. Não basta saber que o mosquito se multiplica fazendo uso de água limpa mal acondicionada, nem basta saber que a doença pode levar ao óbito, o mais importante é descobrir como exterminar o mosquito e faze-lo utilizando todos os recursos necessários para isso. Se o extermínio do mesmo pode causar um desequilíbrio ecológico, então que se busque, fazendo uso dos recursos da União um meio de evitar tantas mortes de crianças, estes inocentes. Se nos importarmos um pouco mais com o valor da vida de qualquer ser humano que seja, conseguiremos evitar com certeza que situações como a vivenciada nesses últimos dias no Rio de janeiro se repita e envergonhe nosso país.
Publicado em: 03 abril, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    o que e a dengue Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.