Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Resumo de Hiperatividade e a Aprendizagem

Hiperatividade e a Aprendizagem

Resumo do Livro   por:fadadalua     Autor : Angela Maria
ª
 
Hiperatividade e a Aprendizagem
A importância de o professor diagnosticar o problema para uma efetiva ação pedagógica junto a seus superiores. Os educadores devem ter a consciência que o TDAH (Transtornos do Desenvolvimento de Atenção Hiperatividade) é uma doença e tem que ter cuidado especial, ignorar o assunto e deixar que com o crescimento ou amadurecimento o problema termine não é uma maneira correta de se proceder. A família deve trabalhar junto com a escola e com profissionais da saúde para monitorar o desenvolvimento do aluno e dar orientação sobre o convívio com colegas, família e professores não deixando que o problema tome uma dimensão sem controle, desmoronando uma estrutura até então sólida base fundamental para sustentar e manter unida uma família. O diagnóstico equivocado tem rotulado a falta de educação como hiperativa porque alguns sintomas estão presentes nos dois casos, portanto a importância do médico para esclarecer e avaliar é importante. Apesar do TDAH ser mais comum nos meninos do que nas meninas em função do hormônio testosterona, pesquisas apontam que nas meninas o fator de complicação é bem mais intenso.
Muitos estudos estão sendo feitos para desvendar alguns mitos existentes, inclusive sobre suas causas. Apesar dos fatores genéticos serem um grande determinante, não se pode arrolar fatores isolados para a causa do TDAH. É importante lembrar que existem diagnósticos e tratamentos corretos para tal. Mas o que pouco se conhece é que crianças portadoras de TDAH se não tratadas adequadamente poderão ser adultos com dificuldades.
No Brasil, este transtorno é pouco conhecido e pouco difundido, uma vez que muitos mitos foram elaborados a respeito do mesmo. Muitos brasileiros desconhecem a sua existência e poucos sabem sobre os sintomas, o diagnóstico e o tratamento.
Apesar de este distúrbio atingir cerca de 5% de crianças em todo o mundo, pouco se conhece sobre ele. Os sintomas podem ser observados no cotidiano da criança e devem receber atenção especial se os mesmos vêem se repetindo por um longo período.
Publicado em: 25 janeiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.