Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Resumo de A cultura do livro e o livro na cultura

A cultura do livro e o livro na cultura

Resumo do Livro   por:matilda24     Autor : matilda
ª
 
A cultura é tudo o que se reporta a bens não económicos, tem que ver com obras de criação e valoração humana. No sentido de que são coisas produzidas pelos indivíduos. A cultura abrange a língua, a religião, as crenças, os usos e costumes…Está presente em todo o lado, na televisão, no teatro, nos livros... E talvez sejam estes que maior relevância tem por preservarem e transmitirem realidades culturais, vivências de quem os escreveu, memórias, sabedoria. A cultura é uma realidade intelectual, artística, que se cruza com a história, a filosofia, a educação. A cultura envolve duas vertentes, uma mais activa e a outra mais passiva, a criação e a fruição cultural. Na verdade, sendo um direito consagrado na Constituição, nem por isso significa que todos têm acesso à criação e à fruição. Sendo que, mais facilmente fruímos um bem cultural, do que o criamos. A criação não é para todos, é só para os que têm um dom, uma sensibilidade especial, uma mente criativa. Nem todos podemos ser pintores, ou escritores. No entanto, todos podemos observar um quadro, ler um livro… A escrita é, de facto, a primeira grande revolução de ordem intelectual e de uma importância que é inegável, não seria possível imaginarmos a nossa realidade sem a escrita, ainda que pensemos nos avanços tecnológicos, ela lá está, nos telemóveis, nos computadores, na Internet, enquanto meio de comunicação e enquanto suporte de transmissão e aquisição de informação. A cultura ocidental tem sido profundamente marcada por uma tradição de escrita e pelo domínio do livro impresso. De tal forma relevante é este domínio que muitos se referem à civilização ocidental como “a civilização do livro”. De facto, toda uma cultura está inscrita em livros. Os livros contêm a história e a tradição, as ânsias e os medos, as alegrias e feitos das civilizações e têm tido um papel fundamental na preservação de todos esses elementos. (como são exemplo os Lusíadas, a Eneida, clássicos da literatura). Para além dos livros terem vindo a desempenhar um papel vital no registo da informação, têm também sido relevantes na transmissão do saber de geração em geração, tendo-se afirmado no panorama cultural como poderosos veículos de conhecimento. Por outro lado, os livros constituem uma forma de fuga, um escape à vida quotidiana e ao mundo caótico, são um refúgio acessível, um amigo que nos pode levar, palavra após palavra, página após página, numa viagem até mundos distantes, inacessíveis e mesmo inexistentes.
Apesar da crescente importância que o computador tem na nossa sociedade, o livro é insubstituível. A relevância do livro tem que ser entendida também de forma conceptual, como instrumento que permite desenvolver os aspectos culturais e preservá-los, geração após geração. Ao falarmos de livros e de leitura existem realidades que não podemos deixar de observar. Desde logo, a língua, a sua importância enquanto veiculo dessa realidade que é o universo da leitura, a palavra, o ABC, com o qual se constrói todo o universo linguístico. Depois, a escrita, é certo que a primeira coisa que se aprende, no âmbito desta temática, é, quando ainda crianças, a ouvir, primeiro somos receptores da palavra, mais tarde, aprendemos a falar e só uns anos depois, aprendemos a escrever. Ora, que importância terá a aprendizagem, a absorção das palavras vindas pela audição? Será importante para a criança escutar palavras vindas de livros para o seu futuro caminho pelas letras? Quer dizer, educar os ouvidos no sentido da escuta de leitura de obras literárias? Decerto que sim. O facto de uma criança ter contacto frequente com as palavras, com os livros, vai permitir-lhe, primeiro falar melhor, desenvolver as suas capacidades linguísticas, depois, vai ajudá-la a escrever melhor, a pensar melhor e a compreender o sentido das palavras. Isso consegue-se pelo estímulo, as crianças estão muito mais receptivas que os jovens, por isso é muito importante o contacto com a leitura desde essas idades. Poderemos distinguir educação e cultura? É certo que muitos de nós vêem os livros como meros objectos de trabalho escolar. Mas existem de facto livros educacionais e culturais?
Publicado em: 17 janeiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.