Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Ciências Sociais>Resumo de Lições do príncipe e outras lições

Lições do príncipe e outras lições

Resumo do Livro   por:Dorisvan     Autor : Dorisvan Lira
ª
 
Resenha: Lições do Príncipe e outras lições RODRIGUES, Neidson. Lições do Príncipe e outras lições. 18 ed. São Paulo: Cortez, 1999. O livro lições do príncipe e outras lições apresenta em sua terceira parte o tema: Desafios aos educadores, e busca falar sobre a função política e social da escola desmascarando os vínculos que existem entre a educação e as relações sociais existentes, mostrando que ela não está imune a interesses de grupos ou de classes sociais, porque a escola propaga a ideologia de grupos dominantes. Diante dessa realidade é colocado um desafio “o que deve fazer e como deve fazer a escola para se tornar um instrumento eficiente de luta pela mudança social” Para o autor somente o fato de instrumentalizar as classes marginalizadas será um fato político e social importante, porém não podemos esquecer que enquanto a voz, os valores culturais e pessoais não encontrarem espaço na escola será, impossível imperar a hegemonia ideológica das classes dominantes. Sabendo que a educação em geral está muito mais comprometida em reproduzir o modo de ser e a concepção de mundo, de pessoas, de grupos e classes, mediatizados pela autoridade pedagógica do educador. E este saber passado pelas escolas servirá no final somente a um grupo, que converterá este saber num instrumento de poder. São deste grupo alguns dos muitos intelectuais que julgam o que é importante para eles e para os outros. Esta condição revela uma educação escolar, longe de servir a equalização de oportunidades ou de democratização e competências para vida social e política. Mas que já sentem as necessidades de transformação, mesmo na sociedade burguesa moderna. Para entender quem determina os fins e objetivos da educação é necessário conhecer o tipo de sociedade existente no Brasil de hoje. Assim podemos claramente conhecer as razões das misérias na educação. Outra colocação interessante trata da escola e da mudança social. E coloca posicionamentos que considera antagônicos, um, afirma que a escola não tem possibilidade de ser instrumento de mudança social, e outro, afirma que é a escola o único instrumento de mudança social. Ambas precisam entender que a escola não é o único instrumento de mudança social. E por convergir vários interesses a escola acaba por reproduzir o ideal burguês e ainda necessária as camadas subalternas da sociedade.
Embora interesse a classe dominante à competência da escola como vimos, ela não serve exclusivamente a eles, é do interesse também do proletariado por representar um instrumento de luta contra a dominação cultural. Entendo que embora ela seja pensada pelos burgueses, está, amarrotada de valores culturais e sociais dos trabalhadores. Por que seus filhos acabam recebendo condições intelectuais de reproduzir outro saber. É fundamental que a escola ensine um saber necessário para que os alunos desenvolvam habilidades e potencialidades pessoais e de sua classe, e isto contribui para a transformação social desejada. Ele lista quatro áreas do conhecimento que considera essenciais: História, por permitir a consciência de uma possibilidade de transformação; Geografia, deve mostrar que o espaço geográfico, incorporado a realidade humana se humaniza; Iniciação científica, as forças da natureza a serviço do homem e Língua que serve como instrumento de compreensão e domínio da realidade. Ele dá especial atenção a questão da língua, do domínio do discurso em um momento que se ensina cada vez mais a linguagem do silencio, por processo que podemos compreender o empobrecimento da reflexão. CONCLUSÃO Esta obra nos instiga a tomar uma nova posição, aliás como sugere o autor “devemos retomar o já sabido”, entender que a escola é um instrumento de ação política e social. Devemos entender que por trás de toda prática a uma teoria e este capítulo em especial nos fez perceber as questões que estão em jogo quando se fala de educação, são sonhos, desejos e esperanças de milhões de seres humanos, mas com uma visão diferente, o ideal de uma educação transformadora, comprometida com a sociedade e suas classes, principalmente os excluídos. Estar sensível as questões do povo é um dever do educador socialmente comprometido e um dos principais apelos que esta obra nos faz refletir.
Publicado em: 12 janeiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    o texto fala de pressuposto o que ele quer dizer com isso? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual é a nova metodologia de trabalho: além do individualismo e da competiçao? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.