Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Medicina E Saúde>Medicina Investigacional>Resumo de Anestesiologia: princípios e técnicas

Anestesiologia: princípios e técnicas

Resumo do Livro   por:wiew     Autor : J. Manica
ª
 
Bloqueio de Bier

Indicado para qualquer procedimento no membro superior abaixo do cotovelo ou membro inferior abaixo do joelho, que será concluído no prazo de 40-60 minutos.
Vantagens: simples, o mínimo de equipamento técnico, rápido início
Desvantagens: duração limitada pela tolerância da dor ao torniquete, toxicidade

É uma técnica simples, valiosa e fácil de aprender e executar.
É muito segura desde que doses excessivas de anestésicos locais sejam evitadas.
A pressão do torniquete deve ser cuidadosamente monitorada para evitar complicações.

Técnica:
Uma cânula de agulha intravenosa é colocada em uma veia distal do membro programado para a cirurgia
O torniquete é aplicado em seguida no braço ou na coxa
Realiza-se drenagem do membro com uma bandagem de borracha
O torniquete é então insuflado a uma pressão de 50 mm Hg acima da PAS do paciente
A solução anestésica local é então injetada lentamente na cânula
A analgesia irá ocorrer dentro de 3-4 minutos e pode começar depois da cirurgia

Complicações:

São pouco frequentes e de pouca importância clínica

Discretas alterações de pressão arterial
Discretas alterações de freqüência cardíaca
Tremores ou reações subjetivas
Toxicidades
Paralisias musculares por torniquete
Convulsões
Arritmias cardíacas
Espasmos arteriais
Trombose vascular profunda com perda parcial do membro

Mecanismo de ação:
Efeito eletro-fisiológico dos anestésicos locais (AL)
Há decréscimo na velocidade e no grau de despolarização axonal, competição entre AL e Na+ (impedindo a despolarização),o limiar de excitabilidade não é atingido e o impulso deixa de ser propagado.

Atua:
- terminações nervosas
- pequenos nervos periféricos
- bloqueio de troncos nervosos

A pressão feita pelo garrote sobre os nervos sensitivos colabora na efetividade da anestesia

Interrupção circulatória:
- interrompe condução nervosa
- diminuição da pressão parcial de oxigênio
- aumento da pressão parcial de carbono
- diminuição do pH
- a isquemia diminui a síntese de acetilcolina (produzida por reação aeróbica), isso causa RELAXAMENTO MUSCULAR

Farmacocinética
DISTRIBUIÇÃO E ELIMINAÇÃO
FORMA ÉSTER
- Rapidamente metabolizada por esterases plasmáticas
- Distribuição limitada
- Efeitos de curta duração
- Baixa incidência de toxicidade
- Potencial para reações alérgicas

Anestésicos locais usados na prática clínica:
De ação curta :
- Procaína
- Clorprocaina
De ação intermédia:
- Lidocaína
- Mepivacaína
- Prilocaína
De ação longa:
- Bupivacaína
- Etidocaína
- Ropivacaína
- Tetracaína
- Levobupivacaína

Indicações:
Cirúrgicas:
em membro superior ou inferior,
cruentas ou incruentas,
unilaterais ou bilaterais,
adultos ou crianças,
procedimentos ortopédicos, plásticos, oncológicos, neurológicos ou vasculares
Propósitos: analgesia, relaxamento muscular, hemostasia, campo operatório adequado, condições de segurança e conforto para o paciente.

Indicações possíveis: derivações arteriovenosas de antebraço, portador de distrofia muscular, miopatia congênita, inadequação da anestesia local infiltrativa, atos cirúrgicos de urgência, nas contra-indicações de cirurgia geral e dos bloqueios subaracnóideo, peridural ou plexo braquial

Diagnósticas:
Dose elevada de bupivacaína (150-200mg) - lesões em paciente com espasticidade
Paciente com dor crônica em antebraço ou mão (diagnóstico diferencial)

Terapêuticas:
Condições dolorosas crônicas de membros
Pulsoterapia venosa retrógrada: processos infecciosos em MMSS ou MMII

Contra-indicações:

Absolutas:
recusa do paciente em receber a anestesia,
ausência de pessoal qualificado e falta de condições materiais para reanimação cardiorrespiratória,
presença de arteriopatia periférica,
histórico de hipersensibilidade ao anestésico disponível

Relativas:
Veia superficial de difícil acesso
Intervenção cirúrgica prolongada ou que exige desgarroteamento peroperatório
Crianças ou idosos
Estado geral comprometido
Pusilanimidade
Lesão de tecidos moles
Fratura ou luxação grave
Fratura antiga na região do garroteamento
Grande abscesso
História de moléstia convulsiva
Insuficiência hepática
Moléstia neurológica periférica
Hipertensão arterial grave
Bloqueio cardíaco
Miastenia grave
Anemia falciforme
Plenitude gástrica
Varizes extensas

Publicado em: 30 junho, 2010   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    E NORMAL FAZER CIRURGIA DO TUNEL DO CARPO COM ANESTESIA DE GARROTE Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    quem está gravida e tem que passar por esse tipo de anestesia pode fazer a cirurgia Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    resumo de bloqueio de bier Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.