Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Medicina E Saúde>Resumo de Whey PROTEIN AJUDA?

Whey PROTEIN AJUDA?

Resumo do Artigo Científico   por:Rafael_Personal     Autor : Rafael Goulart Cerrone
ª
 
O Whey Protein é, provavelmente, o suplemento alimentar mais consumido por atletas. Ele é, simplesmente, uma proteína extraída do soro do leite, um subproduto obtido durante a produção de queijo.

Existem inúmeras técnicas pelas quais o soro pode ser extraído, e esse processo é fundamental para determinar a qualidade final do Whey Protein. De acordo com a técnica empregada, o Whey Protein poderá ter maior ou menor teor de proteínas (que é o que mais interessa ao consumidor), lactose (açúcar presente no leite), e gorduras.

Os principais tipos de Whey Protein são:

Isolada: A forma mais pura de proteínas do soro do leite que contém entre 90 e 95% de proteínas. É uma ótima fonte para pessoas com intolerância a lactose, uma vez que se trata de um produto com quantidade muito reduzida ou até mesmo sem lactose. Os outros componentes foram retirados no processo de fabricação restando apenas as proteínas.
Hidrolisada: As longas cadeias de proteínas deste produto foram quebradas em cadeias menores (peptídeos). Isso faz com que as proteínas do soro sejam mais facilmente absorvidas pelo organismo, já que estão na forma pré-digerida, reduzindo seu potencial de reações alérgicas. A hidrólise do produto não reduz a qualidade da proteína apenas facilita sua absorção.
Concentrada: A porcentagem de proteína deste produto pode variar de 34% a 80%. O restante do produto consiste de lactose (4 a 8%), minerais e umidade. Sua absorção é mais lenta comparada aos outros tipos de whey, pelo fato de conter quantidades significativas de outros nutrientes. Vale ressaltar que na maioria dos suplementos atuais a diferença entre os produtos com Whey protein concentrada e isolada é muito pequena, com as quantidades de gordura e lactose muito semelhantes.
O sucesso desse suplemento advém do fato de ser uma proteína de altíssimo valor biológico, superior ao da albumina (proteína do ovo), ao mesmo tempo em que possui baixíssimo teor de gorduras e carboidratos. Além disso, ele contém: imunoglobulinas, proteínas que auxiliam o sistema imunológico; elevadas concentrações de BCAA, aminoácidos de cadeia ramificada essenciais na preservação e regeneração do tecido muscular; e glutamina, outra importante substância de ação tanto anti-catabólica quanto anabólica.

Acredita-se que o Whey Protein seja uma proteína de alta digestibilidade e rápida absorção, o que, aliado às suas excelentes propriedades, o torna ideal para ser consumido no período pós-treino, de preferência em conjunto com um carboidrato de alto índice glicêmico como a dextrose ou malto. Dessa forma, um pico de insulina será gerado, potencializando a absorção dos aminoácidos e o carboidrato consumido evitará que o Whey seja “convertido em glicose” e utilizado como fonte energética, para reposição dos estoques de glicogênico. Essa mistura é o ideal para repor rapidamente o glicogênio utilizado no treino, preservar a massa muscular e, ainda, estimular a síntese protéica.

A quantidade ideal de Whey que deve ser consumida varia de acordo com a quantidade de massa muscular do indivíduo. É comum o uso de 20 a 40 gr (1 a 2 doses) imediatamente após o treino. Alguns culturistas também o consomem na refeição pré-treino. Nada impede que o Whey seja consumido em outros momentos do dia, mas, devido ao seu elevado custo, essa estratégia pode ser complicada. Além disso, outras proteínas de fontes sólidas são também necessárias e, fariam o trabalho, nesses horários, com a mesma, ou até, melhor eficiência. Um exemplo é na última refeição antes de dormir, período pelo qual passaremos várias horas em jejum e, uma proteína de digestão mais lenta, como a albumina, seria a indicada.

REFERÊNCIAS:

- ALVES, L. A. Alimentação pré, durante e pós exercício. Fitness & Performance Journal, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 110, 2006.
- HARAGUCHI, Fabiano K.; ABREU, Wilson C.; PAULA, Heberth de. Proteínas do soro do leite: composição, propriedades nutricionais, aplicações no esporte e benefícios para a saúde humana. Rev Nutr., Campinas, v.19,n.4, 2006.
- PACHECO,Maria Teresa Bertoldo et. al . Propriedades Funcionais de hidrolisados obtidos a partir de concentrados protéicos de soro de leite. Ciec. e Tecnol. de Alim., Campinas, v.25, n.2, 2005
Publicado em: 18 julho, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.