Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Medicina E Saúde>Resumo de ALIMENTOS GORDUROSOS AUMENTAM RISCO DE CÂNCER DE INTESTINO

ALIMENTOS GORDUROSOS AUMENTAM RISCO DE CÂNCER DE INTESTINO

Resumo do Livro   por:Jerson Aranha     Autor : José Renan Queiroz Guimarães
ª
 
ALIMENTOS GORDUROSOS AUMENTAM RISCO DE CÂNCER DE INTESTINO

Estudos mostram relação direta entre mortalidade pelo câncer colo-retal e consumo de carne vermelha e alimentos ricos em gordura. O câncer de intestino, também chamado de câncer colo-retal, que abrange o intestino grosso e o reto, atinge um enorme número de pessoas em todo o mundo, juntamente com o câncer de pulmão e de mama. Estimativas de Incidência de Câncer no Brasil para 2006, publicadas pelo INCA - Instituto Nacional do Câncer, apontam o câncer colo-retal como o 5º tumor maligno mais freqüente entre homens (com 11.390 casos novos) e 4º entre as mulheres (13.970 casos novos). Em cerca de 90% dos casos, ele ocorre após os 50 anos, aumentando progressivamente sua incidência principalmente após os 60 anos e atingindo seu pico aos 75 anos de idade. Estudos têm revelado alguns fatores responsáveis pelo seu aparecimento, como dieta rica em gordura animal e pobre em frutas e vegetais. A minoria dos casos (10%) está relacionada com doenças familiares hereditárias transmitidas geneticamente.
"Estudos epidemiológicos realizados em vários países documentaram a relação direta entre mortalidade por câncer colo-retal e consumo per capita de calorias, proteínas derivadas de carne vermelha e alimentos gordurosos, bem como elevações na concentração de colesterol", afirmou o Dr. Gilberto Schwartsmann, Prof. de Oncologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e autor do capítulo sobre neoplasias gastroentestinais do Manual de Oncologia - 2ª Edição, lançado recentemente pela Libbs Farmacêutica. Um estudo de longo prazo realizado pela American Cancer Society, por exemplo, que analisou a dieta de cerca de 150.000 norte-americanos entre 50 e 74 anos de idade, concluiu que o consumo prolongado de carne vermelha e processada aumenta sensivelmente o risco de desenvolver câncer de intestino. Aqueles que consumiram mais carne vermelha e processada por mais de 10 anos tiveram um aumento de 30% no risco de desenvolver câncer de cólon e 40% de câncer retal, comparados com os que consumiram menor quantidade. O estudo também constatou que aqueles que consumiram muito frango e peixe, ao invés de carne vermelha, reduziram o risco de câncer.
Importância da prevenção e da detecção precoce - O câncer colo-retal quando detectado em seu estágio inicial possui grandes chances de cura, diminuindo a taxa de mortalidade associada ao tumor. "Quando os sintomas se manifestam, porém, o câncer de intestino geralmente já está em seu grau avançado e a fase inicial costuma ser assintomática. Por isso é de suma importância sua prevenção e detecção precoce", explica o Dr. José Renan Queiroz Guimarães, médico oncologista clínico do Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo e médico associado ao Centro de Hematologia e Oncologia do Hospital Samaritano de São Paulo. "Como prevenção, é indicada uma dieta rica em frutas, vegetais, cálcio, folato, pobre em gorduras animais, aliada à prática de exercícios físicos. A ingestão excessiva e prolongada de bebidas alcoólicas deve ser evitada. Cereais também são fundamentais, pois são ricos em fibras que protegem o intestino", afirmou o médico. Segundo ele, as fibras facilitam a evacuação, aumentam o bolo fecal, aceleram o trânsito intestinal e diminuem o tempo de contato das substâncias cancerígenas com a parede do intestino.
Os especialistas afirmam que pessoas com mais de 50 anos devem se submeter anualmente ao exame de pesquisa de sangue oculto nas fezes. Indivíduos com exame positivo devem realizar colonoscopia, que pode detectar processos inflamatórios e o aparecimento pequenos pólipos, verrugas que começam bem pequenas sob a mucosa do intestino. Seu crescimento é lento e leva de 10 a 15 anos para degenerar-se num câncer, que é uma vantagem aos demais tipos que já se instalam como tumor maligno. Para indivíduos com histórico pessoal ou familiar de câncer de cólo
Publicado em: 21 fevereiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.