Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Medicina E Saúde>Resumo de Estudos sobre Psicomotricidade

Estudos sobre Psicomotricidade

Resumo do Artigo   por:fenixlee     Autor : Fenix Lee
ª
 
PSICOMOTRICIDADE
"É possível, através de uma ação educativa, a partir dos movimentos espontâneos da criança e das atitudes corporais, favorecer a gênese da imagem do corpo, núcleo central da personalidade.
Contudo, uma certa confusão reina atualmente no domínio da terminologia e da formulação das finalidades em psicomotricidade. Diferenciamos, por nossa parte, a educação psicomotora da terapia psicomotora. Estas duas atitudes correspondem a necessidades diferentes.
A educação psicomotora concerne uma formação de base indispensável a toda criança que seja dita "normal" ou não. Responde a uma dupla finalidade: assegurar o desenvolvimento funcional tendo em conta possibilidades da criança e ajudar sua afetividade a expandir-se e a equilibrar-se através do intercâmbio com o ambiente humano
A terapia psicomotora refere-se particularmente a todos os casos-problemas nos quais a dimensão afetiva ou relacional parece dominante na instalação inicial do transtorno. Pode estar associada à educação psicomotora ou se continuar com ela.
Nos casos graves, a última hipótese parece preferível na medida em que o primeiro tempo de ação terapêutica deverá se fazer fora de toda preocupação de desenvolvimento funcional metódico.
A Psicomotricidade Relacional é o resultado do trabalho de André Lapierre e seus colaboradores, que há mais de vinte anos vêm especializando educadores, reeducadores e terapeutas em geral, numa proposta inovadora na postura do adulto frente à criança.Este trabalho vem sendo implantado em vários países, formando especialistas que buscam desenvolver a metodologia para Escola Infantil.
Partimos do pressuposto teórico que afirma serem os primeiros anos de vida transcendentais para a evolução da criança como pessoa autônoma, criativa e socializada. É a etapa básica para o posterior equilíbrio da personalidade e para o desenvolvimento da inteligência. A Educação Infantil, que abrange o período de 45 dias a 6 anos, deverá ser a etapa propícia para implementar uma tarefa educativa-preventiva, com vistas ao desenvolvimento global da criança.Segundo Nuria Franch, a Psicomotricidade Relacional tem por objetivo permitir à criança expressar suas dificuldades relacionais e ajudá-la a superá-las. Não tem objetivos pedagógicos diretos, mas sim uma influência clara sobre as dificuldades de adaptação escolar, na medida em que estão diretamente relacionadas com os fatos psicoafetivos relacionais.A proposta : uma decodificação simbólica da atuação espontânea do sujeito, fazendo uma leitura de seu conteúdo comunicativo-simbólico, para intervir na estruturação e evolução da dimensão afetiva.
A criança traz para a escola suas dificuldades relacionais (agressividade, agitação, inibição, passividade, dependência), o que certamente dificultará as aprendizagens escolares.A Psicomotricidade Relacional se propõe a operar sobre estes núcleos psicoafetivos que geram atitudes relacionais, oferecendo um espaço de jogo espontâneo com o seu grupo, para que possa manifestar suas necessidades e desejos. O espaço a que se propõe através do jogo, será um espaço onde se busca potencializar e, muitas vezes resgatar o prazer corporal, através do movimento, reconhecendo uma unidade corporal, uma "unidade vital indivisível", que é a criança.O jogo tem algumas premissas básicas, quais sejam: um espaço adequado, com condições necessárias para movimentos amplos, preservando as seguintes características:
- espontaneidade;
- permissividade - não diretivo e culpabilizante;
- de contenção;
- com mediação corporal do adulto.
Espontaneidade, na medida em que não é decidido pelo professor o jogo a ser brincado. Este facilita a atividade, a partir de limites simples e claros, estabelecidos antes do início do trabalho, como o respeito pela integridade física de cada um, a negociação na disputa do objeto e outros, a partir da sugestão do grupo. A atitude do psicomotricista é de escuta, de participação, mas não diretiva.É um lugar onde a criança utiliza seu corpo, o espaço, os objetos, os outros, num determinado tempo, segundo suas necessidades ou desejos. O psicomotricista observa este jogo espontâneo da criança,o qual lhe permitirá ver os papéis que cada criança "joga" espontaneamente e a repetição de seus comportamentos, ou seja, as estratégias relacionais que cada criança utiliza para evitar ou enfrentar as suas dificuldades.Permissivo, na medida em que cada criança busca o jogo que ela deseja, sem nenhum tipo de proposta e não existe nenhuma cobrança, nenhum juízo nem valorização das produções, por parte do adulto. Por não existir postura crítica ou de juízo, a criança sente-se livre para ser mais autêntica e manifestar seus desejos livremente.Desculpabilizante, na medida em que o adulto não emite juízo de valores e dá autonomia para negociações entre o grupo, somente intervindo em casos de quebra de limites estabelecidos.De contenção, na medida em que o adulto "joga" um papel muito específico, pois é permanentemente, durante as sessões, o elemento de segurança e de contenção para o bom desenvolvimento do trabalho. Sua disponibilidade lúdica o transforma, muitas vezes, no "parceiro simbólico", não impedindo que ele seja o representante da lei, o suporte, a imagem de segurança e a garantia da realidade.
Escutar, esperar, observar, perceber, sentir são constantes atitudes do adulto em Psicomotricidade Relacional. Ele recebe as produções da criança e procura entender, no decorrer das diferentes sessões, quais são as modalidades de relação que ela vai estabelecendo com o adulto, com os colegas, com os objetos, com o espaço e com o tempo.
Através desta observação, o adulto vai reunindo um conjunto de dados que lhe permite conhecer melhor esta criança e suas estratégias relacionais, tanto positivas como negativas, entendendo também os comportamentos que ela adota.
Publicado em: 03 novembro, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.