Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Estilo De Vida>Família E Relações>Resumo de Mitomania. A doença da mentira compulsiva

Mitomania. A doença da mentira compulsiva

Resumo do Artigo   por:Estesinversos     Autor : Fernanda Aranda
ª
 
Fernanda Aranda, do iG Saúde (25/03/2011; ver link abaixo), entrevista Fátima Vasconcellos, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria do Rio de Janeiro. Na introdução, a entrevistadora menciona o filme nacional VIPs (estreia no final de março de 2011), cujo papel principal é do ator Wagner Moura. Trata-se da narrativa baseada em fatos reais da vida de Marcelo Nascimento da Rocha, atualmente preso por estelionato no Estado de Goiás. Essa menção ao filme se justifica pelo fato desse personagem real ser acometido de um transtorno de personalidade bem conhecido por psiquiatras: os sujeitos criam um mundo imaginário, no qual as mentiras contadas em série definem a doença, também conhecida como mitomania ou pseudolelia.

Para a entrevistada, Fátima Vasconcellos, os psicopatas são exemplos de mentirosos compulsivos. Ela enfatiza que psicopatas não são apenas os assassinos seriais, mas todos aqueles que, em empresas, por exemplo, são despudorados no cometimento de toda e qualquer espécie de golge, pisando seus colegas de trabalho e familiares em favor de benefícios individuais ou de sua empresa. Também há de se observar que as mulheres também podem ser acometidas de mitomania.

Há também as ditas “mentiras sociais”, quando fazemos um elogio falso, o que às vezes pode evitar problemas e até fazer bem. A entrevistada ainda faz a distinção entre o mentiroso compulsivo (mente para todos e para si mesmo) e o mentiroso consciente (que conta mentiras obter algum ganho específico), a exemplo de políticos.

Finalmente, Fátima Vasconcellos não caracteriza a mitomania como vício, mas indica que há indivíduos que não conseguem manter um relacionamento livre de mentiras. Do mesmo modo, afirma, “Existem compulsivos pela verdade também, a relação é a mesma”. Os “doentes” da mentira não se consideram patológicos e só são “acordados” para sua realidade mentirosa caso passem por alguma situação devastadora. Os outros é que mais sofrem as conseqüências das mentiras dos mitômanos ou mitomaníacos.

Publicado em: 25 março, 2011   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    Acho que sofro de mitomania.. Existe algum lugar onde possa procurar ajuda? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Acredito que sofro de mitomania.. Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.