Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Direito E Política>Lei Geral >Resumo de Direito Empresarial [Desconsideração da Personalidade Jurídica]

Direito Empresarial [Desconsideração da Personalidade Jurídica]

Resumo do Artigo   por:rcorreas     Autor : Diversos
ª
 
TEORIA DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA (art. 50):

Também conhecida como disregard of the legal entity, ou "teoria da penetração", ou ainda "teoria da superação". Nascida no sistema legal da Inglaterra, e largamente desenvolvida na Alemanh, EUA e Itália.

Nossa teoria é justamente baseada na norma italiana de desconsideração da personalidade jurídica.

Com a aquisição da personalidade jurídica, as sociedades passam a deter autonomia patrimônial, que é distinto do patrimônio pessoal dos sócios. Na maioria dos casos, esta autonomia limita a responsabilidade dos sócios ao patrimônio da sociedade, impedindo que seus patrimônios pessoasi sejam alcançados por obrigações contraídas pela sociedade.

Em princípio, a personalidade jurídica dos sócios, e seus patimônios pessoais, não se confundem com os da sociedade, em razão do princípio da autonomia patrimonial. Porém, a personalidade jurídica da sociedade não pode servir de escudo para salvaguardar empresários inescrupulosos que cometem condutas antijurídicas.

O objetivo da desconsideração da personalidade jurídica é suspender momentâneamente a ausência de comunicação existente entre a personalidade jurídica da empresa e a dos sócios, para que assim seus bens particulares possam ser atingidos, caso sejam comprovadas as práticas de atos fraudulentos, confusão patrimonial, desvio de finalidade e etc, preservando assim os direitos e interesses dos prejudicados pelo mau uso da sociedade.

A teoria não visa anular, desconstituir ou dissolver uma sociedade, e sim desconsidear sua personalidade jurídica, somente durante um determinado período, suficiente para atingir o patimônio pessoal de sócio que agiu em desconformidade com as nomas legais e o objetivo social da empresa.

É motivada por um caso específico.

Não é cabível sua aplicação baseada em abuso de direito, pois neste caso, a responsabilidade sempre será objetiva, podendo o lesado demandar sem a necessidade de comprovar a culpa do sócio que cometeu o abuso.

No que toca aos sócios não administradores, deve ser comprovado seu envolvimento nos atos fraudulentos.

Para que ela seja aplicada necessita-se da demosntração cabal da ocorrência de fraude, comprovando-se em juízo que o (s) sócio (s) estava (m) utilizando-se da personalidade  e da autonomia patrimonial da pessoa jurídica de que faz (em) parte, tendo como resultado a obtenção de proteção para a prática de atos ilícitos lesivos a terceiros,  pela limitação de suas responsabilidades conferida por lei.

Neste caso o Judiciário afasta a autonomia patrimonial da sociedade e a regra da limitação de responsabilidade do (s) sócio (s) para que a fraude por ele (s) praticada (s)  não gere prejuízos a terceiros de boa-fé.

As regras sobre a desconsideração da personalidade jurídica também são observadas na Lei nº. 8.888/94, que trata das infrções à ordem econômica.

Existem três teorias:

1. Teoria maior da desconsideração da personalidade jurídica - Só é cabível mediante a existência de fraude, abuso de direito ou confusão patrimonial.

Não é cabível em sede de execução, tendo que ser evocada préviamente em processo de conhecimento, formando título executivo neste sentido.

É adotada pela jurisprudência majoritária.

Firma-se na exigência de comprovação do mau uso da sociedade.

2. Teoria menor da desconsideração da personalidade jurídica -  O prejuízo do credor já é o suficiente para a desconsideração, se a sociedade não dispuser de bens o suficiente para o adimplemento da obrigação.

É aceita a desconsideração em sede de execução, em atenção aos princípios da celeridade e da economia processual, desde que assegurados o contraditório e a legítima defesa.

Teoria muito adotada nas relações trabalhistas e consumeristas.

Firma-se na insatisfação do credor.

3. Teoria invertida da descosideração da personalidade jurídica - Trata-se da desconsideração da personalidade jurídica da empresa (pessoa jurídica).

É aplicada quando o sócio se utiliza da pessoa jurídica para proteger seus bens pessoais.

Meus outros resumos:
http://pt.shvoong.com/writers/rcorreas/

Publicado em: 19 maio, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    Teoria da desconsideração da personalidade jurídica. Quais os critérios para aplicação desta teoria no direito empresarial? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.