Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Direito E Política>Teoria Contemporânea>Resumo de Prazos - art.177 e seguintes do CPC

Prazos - art.177 e seguintes do CPC

Resumo do Artigo   por:cris_bd7    
ª
 
PRAZOS (ART. 177 E SEGUINTES DO CPC)
 
Definição
Prazo é o espaço de tempo em que o ato processual da parte pode ser validamente praticado.
Prazo a quo (inicial).
Prazo ad quem (final).
  
CLASSIFICAÇÃO:

LEGAIS: são fixados pela própria lei. Ex: resposta do réu, recursos, etc.
JUDICIAIS: são marcados pelo juiz. Ex: designação da data da audiência.
CONVENCIONAIS: ajustado pelo acordo das partes. Ex: suspensão do processo.
 
NATUREZA:
 
DILATÓRIO: é o prazo que, embora fixado em lei, admite ampliação pelo juiz ou que, por convenção das partes, pode ser reduzido ou ampliado.
 
Requisitos de ampliação ou dilação por convenção das partes:
a) deve ser requerida antes do vencimento do prazo;
b) deve estar fundado em motivo legítimo;
c) deve ser objeto de aprovação do juiz.

PEREMPTÓRIO: não pode ser alterado pelas partes nem pelo juiz. Exceção: (art. 182, segunda parte e § único)

CURSO DOS PRAZOS:
 
REGRA: PRAZO É CONTÍNUO (ART. 178)
  
INICIO DOS PRAZOS:
 
MANDADO POR OFICIAL (APÓS JUNTADA DO MANDADO);
VÁRIOS REÚS (APÓS JUNTADA DO ÚLTIMO MANDADO);
POR EDITAL: APÓS O PRAZO MARCADO PELO JUIZ;
VIA POSTAL, APÓS JUNTADA DO AR;
PELA IMPRENSA: APÓS O DIA SEGUINTE DA PUBLICAÇÃO.
 
TERMO FINAL:
 
O Termo final não pode cair em dia não útil. (Art. 184,§1º), (art. 172,) até as 18 horas

PRECLUSÃO
 
Conceito

Preclusão é o fenômeno da perda pela parte da faculdade ou direito processual de praticar um ato.
Obs: nem toda preclusão gera em desfavor do omisso uma desvalia processual, podendo apenas implicar o prosseguimento do feito para o estágio seguinte.
 
Classificação 
 
Temporal:  é a perda da faculdade de praticar um ato processual em virtude da não observância de um prazo estabelecido em lei.
Ex: contestação fora do prazo de 15 dias.
Lógica: é a perda da faculdade pela prática de um ato anterior incompatível com o ato posterior que se pretende realizar.
Ex: sustação de protesto com pedido de liminar condicionado à (caução) depósito em dinheiro. A parte postula concessão de prazo para cumprimento (depósito), obtendo deferimento e sustação liminar. A parte não mais pode recorrer da decisão da qual concordou, limitando-se a pedir prazo para cumprimento (incompatibilidade entre o pedido anterior de prazo e o recurso posterior).
Consumativa: É a perda da faculdade de praticar o ato de maneira diversa, se já praticado anteriormente por uma das formas facultadas em lei.
Ex: É o que ocorre na fase de resposta do réu, quando ele tem a faculdade de oferecer três modalidades diversas de resposta (contestação, reconvenção e exceção) e somente apresenta uma delas.
Todos os prazos processuais, mesmo os dilatórios, são preclusivos. (art. 183).
Casos em que não se aplicam a preclusão: (art.183, §1º e 2º).
 
PRAZOS PARA AS PARTES (ART. 185)
 
ART. 186 (RENÚNCIA)
Tácita (ato incompatível com a utilização do prazo, ex: protocolo antes do prazo).
Expressa (declaração de vontade clara).
Art. 191 (prazo em dobro para diferentes procuradores).
 
PRAZO PARA A FAZENDA PÚBLICA E MINISTÉRIO PUBLICO. (ART. 188)
Fazenda publica (União, Estados, Municípios, DF), Sociedades de Economia Mista e Empresa Públicas não são consideradas Fazenda Pública porque possuem regime jurídico de direito privado (DL 200, 67).

PRAZO PARA O JUIZ (ART. 189, I e II)
Art. 187 (motivo justificado para exceder o prazo)
 
PRAZO PARA OS SERVENTUÁRIOS
O juiz deve fiscalizar (art. 193).
 
INOBSERVÂNCIA DO PRAZO PELA PARTE
ART. 195 E 196
MP E FAZENDA PÚBLICA (ART. 197).
 
INOBSERVÂNCIA DO PRAZO PELO JUIZ
ART. 198
ART. 199

INTERCÂMBIO DOS ATOS PROCESSUAIS
Atos realizados fora da circunscrição territorial. ex: oitiva de uma testemunha em outra comarca.
Art. 200 (intercâmbio e colaboração entre dois juízes)
 
ESPÉCIES DE CARTAS (ART. 201):
 
CARTA PRECATÓRIA (entre comarcas)
Obs: O juiz deprecado não é obrigado a cumpri-la, quando:
Não tiver requisitos preenchidos;
Incompetência em razão da matéria ou da hierarquia;
Dúvida sobre sua autenticidade.
 
CARTA DE ORDEM (ordem de tribunal ao juiz ex: audiência em ação rescisória)
Obs: por hierarquia a CO nunca pode deixar de ser cumprida.
 
CARTA ROGATÓRIA (requisitada por autoridade estrangeira)
Obs: depende de exequatur do Presidente do STF (CF, art. 102, I, h), o qual, uma vez conceido vincula o  juiz rogado, que não pode deixar de cumpri-la.;
Obs2: competência de juiz federal de 1º grau (CF, art. 109, X)
 
REQUISITOS DAS CARTAS (ART. 202)
 
REGRA GERAL (CARÁTER ITINERANTE) (ART. 204)
 
CARTAS URGENTES (ART. 205)
Publicado em: 20 setembro, 2010   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    carta de ordem, reintegracao, servidor publico em acao rescisoria, o que acontece depois? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    PRESISO SABER QUANTOS DIAS A AGU DEVILVE O PROCESSO APOS PERDER O PRAZO. Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Qual o prazo para a réplica do réu, em ação monitória, cujo o despacho o juiz determinou "réplica dentro do prazo legal" ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    10 dias sexta-feira, 27 de abril de 2012
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.