Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Direito E Política>Resumo de O futuro da democracia

O futuro da democracia

Resumo do Artigo   por:Forteski     Autor : Norberto Bobbio
ª
 
O artigo de Norberto Bobbio (1909-2004) intitulado O futuro da democracia (1984) parte de uma definição mínima dessa forma de governo. Sua análise adota a perspectiva do contraste entre os ideais de ontem (teorias como as de Rousseau, Locke, e Stuart Mill) e a matéria bruta de hoje (a atual conjuntura das democracias representativas). Isso se traduz em promessas não-cumpridas, como por exemplo a que diz respeito à representação: o ideal era o da representação política (o representante representando apenas a nação), mas na prática deu-se o inverso: o representante invariavelmente representa interesses particulares; a que tem que ver com o poder oligárquico: o projeto democrático preconizava a eliminação da distinção entre governantes e governados – como resultado, contudo, temos que a própria forma da democracia representativa já é a negação daquele projeto e que não somente as oligarquias não foram suprimidas, como hoje também temos a presença de toda uma gama de elites; e a que trata do “poder invisível”: o ideal primeiro da democracia era o da transparência – todas as ações do governo deveriam ser públicas e nenhum outro tipo de poder secreto seria legítimo – mas hoje temos, de uma parte, alguns poderes sociais anômalos e encobertos, e de outra, a tendência do governo de passar do seu papel de observado-controlado ao de observador-controlador.
Tais promessas não se realizaram devido a certos obstáculos imprevistos relacionados ao grau de complexidade das sociedades contemporâneas. Não obstante, a conclusão do autor é positiva e moderadamente otimista: os direitos com base na liberdade individual, o pluralismo partidário, o sufrágio universal, entre outras instâncias fundamentais do Estado democrático, têm permanecido atuantes e, apesar de algumas democracias estarem mais ou menos distantes do paradigma ideal e original de regime democrático, nenhuma delas se assemelha, constitutivamente, a um Estado de tipo autocrático.
Publicado em: 23 fevereiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    dissertaçao sobre uma ma democracia é sempre preferivel uma boa ditadura ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    preciso de uma dissertaçao sobre uma ma democracia é sempre preferivel uma boa ditadura ..obg desde já segunda-feira, 24 de setembro de 2012
  1. Responda   Pergunta  :    Conclusão sobre o assunto Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Uma conclusão sobre esse assunto Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    uma ma democracia e, sempre preferivel a uma ma ditadura? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    com certeza! por mais que a democracia sja ruim é melhor passar por ela do que por uma ditadura, pois as pessoas não precisam obedecer o que um líder do governo impõe. sexta-feira, 23 de novembro de 2012
  1. Responda   Pergunta  :    oque podemos resumir sobre a democracia de ontem e a de hoje ? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    premissa nao solicitada Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    dissertação sobre uma má democracia é sempre preferivel uma boa ditadura? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    uma má democracia é sempre preferivel uma boa ditadura? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Pode se afirmar que a democracia é manipulável? Quais obstáculos imprevistos contribuiram para não realização das promessas da democracia? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    cade Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.