Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Internet E Tecnologia>Crítica de RESUMO DO FILME O SORRISO DE MONALISA

RESUMO DO FILME O SORRISO DE MONALISA

Crítica do Web site   por:LuPDTO    
ª
 
O filme retrata as dificuldades encontradas por todos aqueles que resolvem se opor às regras estabelecidas. O exemplo vivido pela personagem Katharine Watson (Julia Roberts) em O Sorriso de Monalisa, pode ser comparado às dificuldades e preconceitos que todos os que partem para um confronto direto com o conservadorismo encontraram, encontram e encontrarão. Bill Gates, por exemplo, foi ridicularizado em público ao declarar que suas intenções e objetivos estavam baseados, unicamente, na hipótese de que todos os seres do universo poderiam se interligar instantaneamente por meio do que chamou de big city (grande cidade), ou, uma rede universal de computadores. Os conservadores que imaginavam serem estas, propostas extremamente ousadas e de impossível realização, são obrigados, hoje, a admitirem que estavam errados, enquanto nós, pessoas que vivenciamos as conquistas do Sr. Gates a cada dia, ridicularizamos os que o ridicularizaram. Mas e se fossemos nós os detentores de todo o conhecimento sobre informática em 1980, ano em que Gates pronunciou seus ideais cibernéticos, o que pensaríamos desse enunciado inovador? E se fossemos nós, diretores ou alunos da escola Wellesly na década de 50, e nos deparássemos com uma professora que não seguia as normas estabelecidas, agiríamos de que maneira? E hoje, diante das inovações implantadas na disciplina de Leitura, Prática e Produção de Textos, em que o aluno está dispensado das tradicionais, conservadoras e antigas provas bimestrais, agimos como? Será que todos os colegas concordam com a inovação, ou apenas aceitam porque seguem um conservadorismo maior, o de que não se discute as regras ditadas pelo professor? Ou será que só concordam porque entendem que dessa forma a aprovação será obtida com maior facilidade? O que não podemos é criticar atitudes de determinado período histórico, como o da emancipação feminina da década de 50, com os olhos voltados unicamente para os dias de hoje. Se o interesse da escola, retratada no filme, é o de preparar as alunas para um futuro “feliz” ao lado de seus maridos, devemos inicialmente pesquisar, com nossas mães ou avós, que vivenciaram esse período, para descobrirmos o que realmente seriam interpretadas as idéias que ousassem desafiar essa tradição pedagógica. Tirarmos conclusões precipitadas, baseadas unicamente no roteiro de um filme que, sequer, demonstrou-nos a repercussão dos atos da professora Watson na sociedade da época, mantenedora do colégio, não pode estar correto. Será que a escola não foi punida pela sociedade? Será que os pais, ao saberem das novidades “permissivas” de certa professora, continuaram a mandar suas filhas para lá, mesmo correndo o risco de verem-nas separando-se dos maridos? Ou será que a escola se tornou um sucesso nacional? Imaginar que haja, hoje, mulheres dispostas a abandonarem suas carreiras para conduzirem unicamente os trabalhos domésticos e, assim, satisfazerem os desejos de seus maridos é quase impossível.
Já, na década de 50, isso seria extremamente comum, pois nem a idéia de carreira profissional feminina existia. Contextos diferentes causam interpretações diferentes. Não podemos analisar criticamente um período, do qual pouco conhecemos, ou sequer contextualizamos corretamente, sem cometermos o pecado de darmos a luz a um texto desprezível. Contudo, proponho que façamos um exercício de imaginação. Imaginemos que hoje se apresente a UFT um professor inovador, que exija que todos os homens se tornem gays, pois assim serão mais sensíveis e eficazes no aprendizado. Deverá a reitoria acatar a idéia inovadora do professor só porque ele estudou em São Francisco e, portanto, está mais bem informado sobre as conquistas gays? Ou deverá a reitoria obrigar o professor a abandonar sua idéia, pois poderá ser, inclusive, processado pelos pais machistas e conservadores dos alunos? Imaginamos também que, daqui a 50 anos, fique constatado que ele estava certo. Como seremos nós, alunos, professores e dirigentes da UFT, retratados no filme que farão sobre esse professor inovador? Será que os roteiristas se preocuparão em retratar nossa realidade adequadamente ou, como em O Sorriso de Monalisa
, centralizar-se-ão apenas nas dificuldades encontradas pelo referido e audaciosos mestre, diante de tantos conservadores e preconceituosos que existiam em Palmas em 2006? Concluímos então que o filme não fez justiça aos diretores da escola Wellesly e nem as alunas conservadoras. Usaram-se, covardemente, do artifício da hipótese comprovada. Sabem que a emancipação feminina hoje é aceita pela sociedade como conquista da humanidade e, então, enfocam os que se opuseram a essa hipótese como se todos fossem “bandidos” mal intencionados, que serviram unicamente para atrapalharem o serviço dos “mocinhos” inovadores e cheios de boas intenções. Mesmo assim, é um bom filme.
Publicado em: 08 agosto, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    qual a relação do titulo do texto com o seu enredo Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual a relação da didática com o filme Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    principais dificuldades ideologicas enfrentadas pela professora Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    considerando o contexto historico da epoca faca a analise critica de duas cenas que mais lhe chamou atencao Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    personagem principais? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    porque o filme se chama o sorriso de monalisa? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    porque foi esse o nome que o autor deu ao filme.:-) terça-feira, 2 de outubro de 2012
  1. Responda   Pergunta  :    - Como o discurso conservador e o inovador se relacionam no filme? Quais personagens os representam? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual éo tema central? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    o que se discute no filme Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    concepção de ensinar tratada no filme? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
  1. 6. valeria

    resumo do filme

    eu adorei o filme relata sobre tudo que passa

    0 Classificação terça-feira, 2 de agosto de 2011
  2. 5. silvia

    o sorriso de monalisa

    É um bom filme, mostra a realidade do professor atual, que deve ser dinânico e inovador, que mude as concepções da escola que agora assume outras funções. Por que o novo, ou diferente, é visto de outra maneira? Temos que fazer a diferença e romper com o que é tradicional. Ser professor é assim.

    1 Classificação sexta-feira, 24 de junho de 2011
  3. 4. Jéssica

    O sorriso de monalisa

    É um filme interessante,gostei muito. Valeu a pena assistido.

    1 Classificação terça-feira, 7 de junho de 2011
  4. 3. patricia

    o sorriso de monolisa

    esse filmi é uma droga quase naaaum intendoo mt pesimo ecaa!!!!!afffffffff

    0 Classificação domingo, 29 de maio de 2011
  5. 2. joana e gessica

    sorriso de monalisa

    esse filme é droga:muito besta desinteressante

    0 Classificação sexta-feira, 16 de julho de 2010
  6. 1. João Carlos

    Uma visão

    extremamente crítica sobre o filme. Mas, não deixa de ser uma visao original. Muito bom!

    32 Classificação domingo, 26 de agosto de 2007
X

.