Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Teoria E Crítica>Resumo de Pós-modernidade, ética e educação

Pós-modernidade, ética e educação

Resumo do Livro   por:CharlesOdevanXavier     Autor : Pedro Goergen
ª
 
No livro Goergen tenta fundar uma nova ética, fundamentada nesses tempos de mudanças e precarização de valores.
Goergen estabelece três perspectivas de análise: primeiro, a do reconhecimento generalizado de que o sonho moderno de uma sociedade melhor, resumido na forma de grandes narrativas históricas, parece não ter se realizado, pelo menos não de forma como imaginada nos primórdios da modernidade; segundo, discute a convicção dos pós-modernos de que o progresso permanente e ilimitado em direção a uma vida melhor foi uma grande ilusão e de que a modernidade está superada; e terceiro, reflete sobre a posição dos ainda modernos de que a modernidade se desviou da rota traçada, enveredando por caminhos perigosos e trágicos, mas que os erros podem e devem ser corrigidos.
Se para Max Weber a modernidade é definida como o "desencantamento" do mundo. Para Nietszche, Heidegger, Adorno, Horkheimer e Foucault, por sua vez, cada um, a sua maneira, tratam do "desencantamento" da modernidade.

Pedro Goergen pensa estarmos saindo de uma década do "já não há nada a fazer" em que nosso destino individual e social era governado pelas leis ocultas e poderosas do mercado e não nos restava outra coisa senão nos submetermos a elas, pois a desfragmentação entre o individual e o coletivo era quase completa: não havia mais projeto individual nem coletivo de emancipação. Ou dito de outro modo: a vida deveria ser vivida como nos era dado vivê-la pelos que desde seus escondidos centros de poder conduziam os destinos da humanidade. Assim cabia as pessoas apenas se preocupar em estar preparadas para competir e vencer num mundo regido pela lei do mais forte.
Goergen acredita estarmos vivendo no limiar do surgimento de uma nova consciência, que se traduz por diversos grupos sociais (mulheres, jovens, cientistas, educadores, grupos religiosos, etc.) que fazem ouvir seus alertas de que assim como está indo não pode continuar. Temas como vida, morte, ética, estética, natureza...preocupações, enfim, que dizem respeito ao sentido da evolução cultural, econômico e político em cujo fluxo por ora flutuamos quais miríades de pequenos barcos à deriva. Desta forma, parece que um número crescente de pessoas está disposto a renortear sua exisência, questionando a significação do sentido da vida.

Publicado em: 28 agosto, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    Qual a ética do trabalho? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    Prezado internauta, Não posso responder como filósofo, já que não sou filósofo de formação.MInha formação é em Letras pela UFC. Entretanto, posso não como especialista, mas como especulador emitir um parecer sobre essa questão. O trabalho não é bem visto nem na Bíblia Sagrada,pois lá Moisés narra que seu Deus teria condenado Adão a 'trabalhar',ou seja, a limpar o suor do rosto.Já que até então supostamente o homem vivia nesse paraíso sem ter de trabalhar.Vivia em abundância... quarta-feira, 13 de abril de 2011
  1. Responda   Pergunta  :    ética do trabalho ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    O trabalho de condenação bíblica, tem na etimologia de sua palavra outra condenação: tripalium, uma canga usada para supliciar escravos.Trabalho para Marx existe para criar mercadorias e valores.Se você faz uma geléia para consumir em casa, não é trabalho.Mas se você a faz para vender na porta de casa como camelô, aí virou trabalho, produtor de valor. O capitalismo e o capital não tem ética, já que vivem as leis cegas da economia de mercado.Portanto trabalho versus ética. quarta-feira, 13 de abril de 2011
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.