Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Filosofia>Resumo de O mito e o logos

O mito e o logos

Resumo do Artigo   por:JohnLendo     Autor : JohnLendo
ª
 
O novo modo de pensar – o pensamento racional e filosófico – é geralmente considerado como o oposto ao pensamento mítico. Numa certa época, na Grécia do século VI a.C., o pensamento humano teria se libertado das fantasias pueris da mitologia e da religião para se afirmar e se desenvolver racionalmente. Como mostra Jea-Pierre Vermont a relação entre o mito e o logos (razão) é muito mais complexo: “os filósofos não precisaram inventar um sistema de explicação do mundo, acharam-no pronto.” Exemplo:na descrição da origem do universo feita por Hesíodo em Teogonia – de fato, os primeiros filósofos apenas traduzem para outras palavras a mesma inquietação de Hesíodo: a relação entre o caos e a ordem do mundo. E para explicá-la eles não fazem mais do que reduzir os deuses da mitologia às formas da natureza (terra, ar, água, etc.) que representam. Diferença entre o pensamento mítico e o racional dos primeiros filósofos A mitologia exprimia na forma divina e celestial todo o conjunto de relações, seja dos homens entre si, seja entre o homem e a natureza. Assim, os deuses são criadores do mundo; de forma análoga, o rei era considerado o criador da ordem social e regulador do ciclo da natureza. O mundo divino, as relações sociais e o ritmo da natureza confundiam-se, estando todos submetidos ao comando do rei. Por isso, a mitologia apenas narra a sucessão de fenômenos divinos, naturais e humanos. Ela não os explica, pois a explicação já está dada pelo poder do rei. Modificação desse quadro Com o desaparecimento do rei divino, a polis surge como uma criação da vontade humana. Os acontecimentos do mundo que eram considerados como realizações do rei (e dos deuses) perdem a base de explicação. Tornam-se problemas. Para resolvê-los o homem deve valer-se do meio que ele próprio desenvolveu ao criar a polis: o logos, a razão.
Publicado em: 21 fevereiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    logos e mitos são duas metades da linguagem por que? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    o quer disse pierre grimal com essa afirmaçao Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    ''Logos e mitos são as duas metades da linguagem, duas funções igualmente fundamentais da vida do espirito'' Oque quer dizer Pierre criminal com essa afirmação? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual a diferença entre mito e logus ?? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    o que quer dizer pierre grimal com essa afirmaçao? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    oque é logos ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    (razão) quarta-feira, 13 de março de 2013
  1. Responda   Pergunta  :    o que é logos ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    razão quinta-feira, 1 de novembro de 2012
  1. Responda   Pergunta  :    duas funçoes fundamentais da vida do espirito Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    diferença entre mito e logos Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    porque se pode dizer , baseado no estudo do helenista jean-pierre vermant , que o surgimento da filosofia foi engendrado em praça publica ? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.