Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Filosofia>Resumo de O que é ideologia - A concepção marxista de ideologia

O que é ideologia - A concepção marxista de ideologia

Resumo do Livro   por:milenaxz     Autor : Marilena S Chaui
ª
 
Fichamento A análise de Marx sobre a ideologia em geral, tem como objetivo um pensamento historicamente determinado: o dos pensadores alemães posteriores a Hegel. Marx não separa a produção das idéias e as condições sociais e históricas nas quais são produzidas (tal separação é o que caracteriza a ideologia); Para entendermos as críticas de Marx precisamos ter presente o tipo de pensamento determinado que pressupõe a filosofia de Hegel. Marx procura distinguir o tipo de ideologia que produzem: Os franceses: a ideologia é sobretudo política e jurídica; Os ingleses: é sobretudo econômica. As formas ou modalidades da ideologia em geral, e da ideologia burguesa em geral, encontram-se determinadas pelas condições sociais particulares em que se encontram os diferentes pensadores burgueses. Marx dirige duas críticas aos ideólogos alemães: esses filósofos tiveram a pretensão de demolir o sistema hegeliano imaginando que bastaria criticar apenas um aspecto da filosofia de Hegel, em lugar de abarcá-la como um todo. Com isto, eles apenas substituíram a dialética por uma fraseologia sem sentido; cada um desses ideólogos tomou um aspecto da realidade humana, converteu esse aspecto numa idéia universal e passou a deduzir todo o real desse aspecto idealizado. Com isto, além de fazerem o que todo filósofo faz (deduzir o real das idéias desse real), ainda imaginaram estar criticando Hegel e a realidade alemã. Marx afirma que, para compreendermos a limitação mesquinha da ideologia alemã é preciso sair da Alemanha, fazer algumas considerações gerais sobre o fenômeno da ideologia. Essas considerações têm como pano de fundo a questão do conhecimento histórico. A história pode ser examinada sob dois aspectos: história da natureza; história dos homens. Toda ideologia se reduz ou a uma concepção distorcida da história dos homens, ou a uma abstração completa dela. Marx concebe a história como um conhecimento dialético e materialista da realidade social. Entre as várias fontes dessa concepção encontra-se a filosofia hegeliana. Podemos caracterizar a obra hegeliana como: um trabalho filosófico para compreender a origem e o sentido da realidade como Cultura (Cultura são as relações dos homens com a Natureza pelo desejo, pelo trabalho e pela linguagem). Não se trata de dizer que o Espírito produz a cultura, mas sim de que ele é a Cultura. um trabalho que define o real pela Cultura e esta pelo movimento de exteriorização e de interiorização do Espírito. Este se manifesta nas obras que produz (exteriorização), e interioriza essas obras porque sabe que elas são ele próprio. O real é história; um trabalho que revoluciona o conceito de história porque: não pensa a história como uma sucessão de fatos no tempo, pois o tempo é criador dos acontecimentos. Estes são o tempo; não pensa a história como uma sucessão de causas e de efeitos, mas como um processo dotado de um motor interno (contradição) que produz os acontecimentos. Contradição e oposição são muito diferentes: na oposição existem dois termos dotados de suas próprias características, e que podemos tomá-los separadamente e entender cada um deles; na contradição só existe a relação e não podemos tomar os termos antagônicos fora dessa relação pois são criados e transformados nela e por ela.
A contradição opera como uma forma de negação. Ex.: O trabalho do canoeiro consiste em negar a árvore como uma coisa natural, transformando-a em coisa cultural: na canoa. A contradição é um motor temporal: não existem como fatos no mundo, são produzidas. A produção e superação das contradições é o movimento da história. pensa a história como contraditório unificado em si e por si mesmo, plenamente compreensível e racional. um trabalho que concebe a história como história do Espírito. Este começa se exteriorizando na produção das obras culturais (sociedade, religião, arte, etc.). A produção do Espírito são contradições que vão sendo superadas e repostas com novas formas por ele mesmo até que se produza a síntese final. Esta é produzida no momento em que o Espírito termina seu trabalho, compreende o que realizou e se reconcilia consigo mesmo. A história é o movimento pelo qual o que o espírito é em si se torna o que ele é para si. Esse momento final chama-se filosofia. A filosofia é a Memória da história do Espírito, e por isso Hegel diz que ela começa apenas quando o trabalho histórico terminou. Uma classe ascendente não pode aparecer como uma classe particular, mas como representante de toda a sociedade interessada. Consegue aparecer assim graças às idéias que defendem como universais. No início da ascensão, esta classe representa um interesse coletivo. Quando alcança a vitória, seus interesses são particulares. Ainda assim, tais interesses precisam ser mantidos com aparência de universais. As idéias universais da ideologia são a conservação de uma universalidade que já foi real num certo momento. Determinações gerais da ideologia: Ideologia é resultado da divisão social do trabalho (material/manual ; espiritual/intelectual); Aparente autonomia do trabalho intelectual face ao material; Autonomia dos produtores do trabalho intelectual: pensadores; Autonomia dos produtos desse trabalho: as idéias; Essas são as idéias da classe dominante; Ideologia é um instrumento de dominação de classe; Instrumento encarregado de ocultar as divisões sociais, Transforma idéias particulares em universais; Ideologia é um reflexo do real de modo invertido na cabeça dos homens; Ela é produzida em três momentos fundamentais: Inicia-se com um conjunto sistemático de idéias da classe em ascensão; Torna-se o senso comum, se populariza; Se mantém universalizada, mesmo após a vitória.
Publicado em: 11 junho, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    o que é a ideologia para Marx ? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual a origem do termo ideologiae qual seu desenvolvimentou Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual é a importancia das ideiologias para os marxistas Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    como marx define ideologia Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    CONCEITO MARXISTA DE IDEOLOGIA ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    O DISCURSO NÃO IDEOLOGICO sexta-feira, 13 de julho de 2012
  1. Responda   Pergunta  :    o que um Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Onde aparece a educação na história? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    quando a sociedade tenta resolver seus proprios conflitos quinta-feira, 24 de maio de 2012
  1. Responda   Pergunta  :    O que é ideologia marxista? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    concepçâo marxista Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    quero saber o que e ideologia ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    Ideologia é um reflexo do real de modo invertivo na cabeça dos homens. domingo, 3 de março de 2013
Traduzir Enviar Link Imprimir
  1. 3. andreia

    ideologia

    oi sou andreia suellen,tenho 16 aninhos,e como uma amante da filosofia adorei eatudar o assunto de marquicista de ideologia....achei que vcs abordarao muito bem o assunto...parabens

    0 Classificação segunda-feira, 25 de junho de 2012
  2. 2.

    concepçao

    muita coisa pra lê

    0 Classificação segunda-feira, 19 de setembro de 2011
  3. 1. raine rodrigues dos santos

    filosofia

    e um conjunto de ideias ou pensamento

    0 Classificação sexta-feira, 2 de setembro de 2011
X

.