Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>História>Resumo de A expansão marítima européia

A expansão marítima européia

Resumo do Livro   por:Baruque     Autor : Patrícia Ramos Braik e Miriam Brecho Mota
ª
 

A expansão marítima européia

1- O interesse pelo desconhecido  

Por estar atravessando uma crise financeira muito grave durante o século XV, com pequena chance de expansão comercial, os europeus na busca de soluções econômicas, lançaram-se ao mar desconhecido (o Oceano Atlântico) crendo que encontrariam longe do Mar Mediterrâneo , terras e riquezas. Para atravessar o Mediterrâneo teriam que enfrentar os comerciantes árabes e os da Península Itálica que dominavam a região. Por isso procuraram novos caminhos.

Estimulados pelos relatos das viagens do comerciante e navegador Marco Pólo, que era de Veneza, de que nas novas terras havia abundância de alimentos, de metais e de tecidos finos e coloridos, residências e templos amplos, os viajantes europeus se interessaram em partir para o Oriente.

2- A ciência a serviço dos navegadores

Com o aumento dos negócios marítimos, era necessário aperfeiçoar e até criar novos instrumentos náuticos. Então foi inventada a caravela para que as viagens fosse mais rápidas e mais seguras, até facilitando navegar na direção contrária dos ventos. Os portugueses aperfeiçoaram o astrolábio e a balestilha, que eram instrumentos inventados pelos árabes. Foi dado treinamento sofisticado pelas escolas de navegação sobre o manuseio da bússola e de outros instrumentos. Mapas foram projetados com medidas mais próximas do real.

Os conhecimentos de cartografia baseavam-se quase sempre nas teorias do geógrafo e astrônomo grego Cláudio Ptolomeu.

3- O pioneirismo de Portugal

Os portugueses iniciaram os empreendimentos marítimos em direção à Ásia, navegando pelo Oceano Atlântico. Essas viagens se intensificaram após os turcos otomanos ocuparem a cidade de Constantinopla, bloquearem a passagem entre a Europa e o Oriente.

Com o apoio do rei e dos comerciantes (os burgueses) e o conhecimento científico dos navegantes portugueses, as viagens marítimas foram um sucesso. A primeira conquista dos lusitanos foi a cidade de Ceuta, no Marrocos, no norte da África, em 1415.

A cidade portuguesa de Sagres, tornou-se no início do século XV, um importante centro de discussão das ciências para a navegação e de estudos cartográficos, atraindo astrônomos, matemáticos, viajantes e cartógrafos.

Entre 1482 e 1485, o navegador Diogo Cão explorou a costa da África ocidental. E depois Bartolomeu Dias, entre 1487 e 1488, conseguiu chegar ao Cabo das Tormentas, que passou a ser chamado de Cabo da Boa Esperança. Vasco da Gama chegou a Calicute em 1498, na costa sudoeste da Índia, estabelecendo a rota entre Portugal e o Oriente. E em 1500, Pedro Álvares Cabral, anexou parte da América do Sul ao Império ultramarino português.

4- Em direção às Índias

Com as conquistas dos portugueses, os espanhóis que também queriam chegar às Índias, ficaram apreensivos, pois viam nos portugueses seus maiores adversários.

Pretendendo chegar às Índias, Cristóvão Colombo, o navegador genovês, saiu da Espanha em 1492, navegando em direção ao leste, rota contrária dos portugueses que iam em direção ao oeste. Dois meses depois chegou no Caribe, na América Central, e pensando ter chegado às Índias, chamou os nativos de índios.

Américo Vespúcio, mercador e navegador italiano, que foi o primeiro a constatar que as terras descobertas por Colombo, era um novo continente, e não às Índias, foi homenageado com o nome de América dado a esse continente.

5- A divisão das terras do Novo Mundo

Com a intenção de proteger o acesso aos metais preciosos encontrados e as especiarias orientais, e espalhar a fé cristã no Oriente, portugueses e espanhóis fizeram várias solicitações à Igreja Católica. Os papas emitiram vários documentos lhes concedendo o domínio no mar-oceano, ou seja, no Oceano Atlântico. Após várias negociações entre representantes portugueses e espanhóis na cidade espanhola de Tordesilhas, em 7 de junho de 1494, chegou-se a um acordo e assinaram o “Tratado de Tordesilhas”. Este documento dividia as terras do Novo Mundo entre Portugal e Espanha.

6- Os efeitos das conquistas ultramarinas

Publicado em: 14 julho, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    quais paises participaram da expançao maritima Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    quais foram os eventos importantes da navegação portuguesa que permitiam contornar a africa para chegar a india pelo atlantico? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    instrumentos nauticos que auxiliaram os navegadores neste empreendimento Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    porque nao pode ser tudo de trinta linhas Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    o comercio tornouse mundial Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    por que muitos comerciantes europeus queriam chegar ao oriente ( 2 Respostas ) Veja tudo
  1. Responda  :    porque la era muita escravidao terça-feira, 11 de março de 2014
  1. Responda  :    em busca de ouro e terras nova quinta-feira, 9 de maio de 2013
  1. Responda   Pergunta  :    quais sao os principais navegadores efeitos da epoca Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    cade a continuaçoa?? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    O que significa expanção maritima ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    E a expansao que fas-se atraves do mar quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013
  1. Responda   Pergunta  :    mede o resumo disso Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.