Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Resumo de Pedagogia do Oprimido

Pedagogia do Oprimido

Resumo do Livro   por:Macileide Passos     Autor : Paulo Freire
ª
 
PEDAGOGIA DO OPRIMIDO – PAULO FREIRE Livro dedicado aos “esfarrapados do mundo”, mostra a opressão contida na sociedade e no universo educativo, em especial na educação/alfabetização de adultos. A opressão é apresentada como problema crônico social, visto que as camadas menos favorecidas são oprimidas e terminam por aceitar o que lhes é imposto, devido à falta de conscientização, sem buscar realmente a chamada Pedagogia da Libertação. A libertação é um “parto” conforme afirma o autor, pois a superação da opressão exige o abandono da condição “servil”, que faz com que muitas pessoas simples apenas obedeçam a ordens, sem, contudo questionar ou lutar pela transformação da realidade, fato motivado especialmente pelo medo. A dicotomia encontrada neste universo vai justamente no despertar da conscientização, onde as realidades são, em sua essência, domesticadoras, ou seja, é cômodo para o opressor que o oprimido continue em sua condição de aceitação. Neste sentido o autor faz uso do pensamento de Marx quando se refere à relação dialética subjetividade- objetividade, o que implica a transformação no sentido amplo – teoria e prática, conscientizar para transformar, pois a opressão é uma forma sinistra de violência. Assim a Pedagogia do Oprimido busca a restauração, animando-se da generosidade autêntica, humanista e não “humanitarista”, pois se propõe à construção de sujeitos críticos, comprometidos com sua ação no mundo. A educação exerce papel fundamental no processo de libertação, pois é apresentada a concepção “bancária” como instrumento de opressão. Nesta visão o aluno é visto como sujeito que nada sabe, a educação é uma doação dos que julgam ter conhecimento. O professor, nesse processo, “deposita” o conteúdo na mente dos alunos, que a recebem como forma de armazenamento, o que constitui o que é chamado de alienação da ignorância, pois não há criatividade, nem tampouco transformação e saber, existindo aí a “cultura do silêncio”, isto porque o professor é o detentor da palavra, criando no aluno a condição de sujeito passivo que não participa do processo educativo. “Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo”, esta famosa frase pareceu, a princípio, ter um efeito bombástico entre os educadores porque denunciou toda opressão contida na educação, em especial na concepção bancária, que na sua essência torna possível a continuação da condição opressora. O grande destaque para a superação da situação é trabalhar a educação como prática de liberdade, ao contrário da forma “bancária” que é prática de dominação e produz o falso saber, ou seja, aquele incompleto ou sem senso crítico. Assim é apontada a educação problematizadora, onde a realidade é inserida no contexto educativo, sendo valorizado o diálogo, a reflexão e a criatividade, de modo a construir a libertação. O diálogo aparece no cenário como o grande incentivador da educação mais humana e até revolucionária. O educador antes “dono” da palavra passa a ouvir, pois “não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão”.
Isto é justamente o que foi chamado de mediatização pelo mundo, espaço para a construção do profundo amor ao mundo e aos homens. Contudo é preciso que também haja humildade e fé nos homens. O diálogo começa na busca do conteúdo programático. Para o educador-educando, dialógico, problematizador o conteúdo não é uma doação ou uma imposição, mas a devolução organizada, sistematizada e acrescentada ao povo daqueles elementos que este lhe entregou de forma desestruturada. É proposto que o conteúdo programático seja construído a partir de temas geradores, uma metodologia pautada no universo do educando que requer a investigação, “o pensar dos homens referido à realidade, seu atuar, sua práxis”, enfatizando-se o trabalho em equipe de forma interdisciplinar. Para a alfabetização (de adultos) o destaque é feito através de palavras geradoras, já que o objetivo é o letramento, porém de forma crítica e conscientizadora. A teoria antidialógica citada é a ideologia opressora, a manipulação das massas e da cultura através da comunicação, por isso a revolução deve acontecer através desta pelo diálogo das massas. Uma das principais características da ação antidialógica das lideranças é dividir para manter a opressão, o que cria o mito de que a opressão traz a harmonia. Em contrapartida, é mostrada a teoria da ação dialógica embasada na colaboração, organização e síntese cultural, combatendo a manipulação através da liderança revolucionária, tendo como compromisso a libertação das massas oprimidas que são vistas como “mortos em vida”, onde a vida é proibida de ser vida, isto devido às condições precárias em que vivem as massas populares, convivendo com injustiças, misérias e enfermidades, onde o regime as obriga a manter a condição de opressão. Neste cenário é necessário unir para libertar, conscientizando as pessoas da ideologia opressora, motivando-as a transformar as realidades a partir da união e da organização, instaurando o aprendizado da pronúncia do mundo, onde o povo diz sua palavra. Nesta teoria a organização não pode ser autoritária, deve ser aprendida por se tratar de um momento pedagógico em que a liderança e o povo fazem juntos o aprendizado, buscando instaurar a transformação da realidade que os mediatiza. O que fica evidente é que o opressor precisa de uma teoria para tornar possível a ação da opressão, deste modo o oprimido também precisa da teoria para sua ação de liberdade, que deve ser pautada principalmente na confiança no povo e na fé nos homens, para que assim “seja menos difícil amar”.
Publicado em: 25 abril, 2006   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    qual o objetivo e o processo de alfabetização na visão de paulo freire? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    gostaria de entender melhor o 1capitulo da pedagogia do oprimido, pois preciso faser o resumo do mesmo Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual a ideia sobre este resumo Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    COMO POSSO RELACIONAR A PEDAGOGIA DO OPRIMIDO AO ENSINO DE MENORES INFRATORES? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    não consigo entender o quarto caítulo do livro pedagogia do oprimido, me possibilite um resumo desse caítulo detalhadamente. obrigada. Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual a relação do livro pedagogia do oprimido com o mundo atual? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    é possivel manter dialogo em situação de opressão? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    CADÊ A CONCLUSÃO DA OBRA DE Paulo Freire em pedagogia do oprimido Fonte: http://pt.shvoong.com/humanities/201890-pedagogia-oprimido/#ixzz1nELu1MGN Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    CADÊ A CONCLUSÃO DA OBRA DE Paulo Freire em pedagogia do oprimido Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual a metodologia do autor? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
  1. 33. Heitor sete maravilhas

    Pedagogia do oprimido

    No filme ESTIGMa, muito de Pedagogia do Oprimido pode ser visto na personagem, tanto de Heitor como de Barriga, é pena que certas produções cinematográficas fiquem restritas apenas a um mundo acadêmico. http://www.facebook.com/estigma?sk=info

    0 Classificação domingo, 22 de janeiro de 2012
  2. 32. Edson

    Ped Oprimido

    Achei muito bom este livro,ele ajudou me a entender esse pedaço mascarado do Brasil.Acredito que esse livro fez a reflexao demuitos, que até então não tinha se dado conta da existência desse problema.Isso veio mostrar a dupla face de quem domina,pois,diz uma coisa e faz outra.

    0 Classificação terça-feira, 16 de novembro de 2010
  3. 31. Bharbarah

    Pedagogia do opimido

    muito bem redigido as suas construções a respeito da obra freireana.Na verdade Freire é mais filosófico do pedagogico, e asua compreenção supera as nossas expectativas.

    3 Classificação terça-feira, 12 de outubro de 2010
  4. 30. Valcilan

    Parabéns

    Se cada pessoa procurasse saber a idéia central desse resumo e desse livro o mundo hoje seria diferente:''Ninguem educa ninguem,ninguem educa a si mesmo,os homens se educam enre si.mediatizados pelo mundo''.Parabéns!

    2 Classificação quinta-feira, 22 de julho de 2010
  5. 29. Lucirene

    A educação é uma riqueza sem igual

    A sociedade opressora usa de argumentos e estratégicos deixando os oprimidos sem visão e sem consciência,enquanto opera com uma dissimulação descarada todo o seu plano,que é fazer com que a sociedade oprimida acredite na sua boa vontade de implantar a igualdade,porém,seu real objetivo é mantê-los sempre na condição de oprimido.Estou cursando o segundo período de Pedagogia e sinceramente fiquei muito entusiasmada com a descoberta do verdadeiro valor que tem a educação, pois ela representa a maior riqueza através da qual conquistamos a liberdade.Li apenas o resumo de Pedagogia do Oprimido e tive

    11 Classificação quarta-feira, 27 de janeiro de 2010
  6. 28. IvoCoelho

    resumo e livro

    o seu resumo estava optimo,Isabel Leal,estou a ler o seu livro,"os cristal",e estou a adorar! sou uma criança indigo com 12 anos,minha mae,tambem indigo,levou-me á casa indigo para ver se eu o era (indigo),agora leio o seu livro e descubro imensas coisas sobre as crianças indigo. Obrigado !

    9 Classificação sábado, 13 de dezembro de 2008
  7. 27. Marisnaide Francisca da Silva

    Parabéns

    Gostei muito do seu resumo!!! Acredito que todo Educador antes de sua formação acadêmica, deveria ter o conhecimento amplo das idéias e práticas "FREIRIANAS", pois trata-se de uma lição para a vida e para todos os relacionamentos. Parabéns pela forma clara com que transmitiu a idéia.

    10 Classificação sábado, 29 de março de 2008
  8. 26. ana maria alves

    comentario do filme

    o livro é escelente para quem acredita na possibilidade de uma sociedade realmente justa,onde o oprimido seja incluido de verdade na sociedade como pessoa,estimulando a pensar,opinar e acreditar que pode e tem os mesmo direitos que os opressores.

    5 Classificação sexta-feira, 28 de março de 2008
  9. 25. laura silva

    Quem ensina,também aprende,somos todos Sujeitos..

    paulo freire,foi um grande sonhador,Socialismo este sim Demonstrou na prática,só existe o oprimido,porque existe o opressor;a mudança,a transformação está dentro de cada ser humano todos ou precisamos ser humanizados?...

    6 Classificação quinta-feira, 27 de março de 2008
  10. 24. Leandro

    Paulo Freire

    Este autor de idéias tão inovadoras e importantes, seja tão valorizado no exterior e aqui em casa suas ideias sejam mau aproveitadas. É uma lastima a forma como o brasileiro trata seus icones, mas, como culpár alguém, afinal os educadores, foram já vítimas de um processo alienante!

    5 Classificação terça-feira, 25 de março de 2008
X

.