Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Resumo de COCOZÃO EM PONTA GROSSA

COCOZÃO EM PONTA GROSSA

Resumo do Artigo   por:Jonesoh     Autores: Jonesoh; Adeel Kaweski
ª
 
FILOSOFIA DE BOTECO-Contos&Crônicas-30-01-07 COCOZÃO Me vem (gosto da próclise) à cabeça a tradução literal da palavra. Não acredito que Ponta Grossa se torne o mictório nacional, com grandes levas de pessoas apertadas para ai se dirigindo desafivelando os cintos, abrindo as braguilhas (vistas das calças), segurando no máximo do possível seus dejetos até chegarem ao lugar aprazado para daí sim despejarem seus refugos e darem o famoso brado de desaperto: Ahhhh...!!! No passado tivemos levas e levas de migrantes chegando a Londrina, Maringá, e em todo o norte paranaense. Teríamos agora, levas e levas de cagões chegando à Ponta Grossa só que num propósito bem diferente? Acredito que os empreendedores princesinos deverão voltar às pranchetas, queimarem suas pestanas na tentativa de desenvolverem projetos adequados para receberem com dignidade os apressados visitantes que devem chegar com caras amarradas, vesgos, com pernas espremidas tentando segurar aquilo ”que já ta na porta tentando sair sem bater”, (bater pra sair nunca vi). As estradas de acesso à capital dos Campos Gerais (o maior entroncamento do Mercosul), ficarão entupidas de Gaiotas a BMWs, ainda bem que as estradas aí são iguais a espelhos “lisinhas”, sem buracos nem crateras ou curvas negativas. Comércios específicos serão abertos nas margens, vendedores de papel higiênico, fraldôes descartáveis, urinóis, banheiros químicos, nada de comida ou bebida, pois a turma já está abastecida. Acredito que a turma do QUARTEIRÃO FECHADO irão abrir filiais para amparar condignamente os visitantes que por certo aportarão na nossa querida Princesa dos Campos, pois a propaganda está alcançando níveis alarmantes. NUNCA PENSEI QUE MINHA QUERIDA CIDADE DE PONTA GROSSA FOSSE VIRAR O CAGADOR DO MUNDO.
Adeel Kaweski Adeel Kaweski, retira do quotidiano da mídia os assuntos para desenvolver seus contos e Crônicas. Adeel Kaweski: Não é...! Não é…! Não e…! Não é...! E também não é! Pó claro que não é...!!! Comentário inserido no Diário dos Campos na edição de 30-01-07.
Publicado em: 19 março, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.