Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Resumo de Iluminismo- resumo das paginas 105 a 109 do livro de história do 11ª

Iluminismo- resumo das paginas 105 a 109 do livro de história do 11ª

Resumo do Livro   por:D_eusa     Autores: Isabel M.Pedro Henriques; M.Filomena Ferro Pntifice; Mª José Ferreira
ª
 
ILUMINISMO Como a expressão sugere, fez-se luz no século XVIII… De facto, alguns homens do século XVIII começaram a usar a RAZÃO = pensamento para desejar um mundo mais feliz, mais justo, mais democrático. Quem foram os ilustres filósofos iluministas? Locke, Voltaire, Rousseau e Montesquieu. O que defendiam os filósofos iluministas do século XVIII? Defendiam a razão, o conhecimento, a crença absoluta nas capacidades do Homem com vista ao progresso, à liberdade e à felicidade. RESUMO: Segundo os iluministas, a verdade e a felicidade eram as metas a atingir. Para isso, era necessário agir no sentido de se alcançar o progresso necessário para essa meta. Assim, os iluministas defendiam que não poderia atingir-se o progresso sem IGUALDADE, LIBERDADE, SEPARAÇAO DE PODERES! Desta forma, achavam que o absolutismo impedia o progresso e a possibilidade de um governo justo, igual e livre. Denunciavam a sociedade de ordens em que os privilegiados dominavam e a maioria era explorada e oprimida. Defendiam que a ciência e a técnica deviam estar ao dispor do conhecimento para que se verificasse o progresso e desenvolvimento do reino, da sociedade e se atingisse a felicidade e bem-estar geral. Montesquieu, Voltaire e Rousseau (entre outros) defenderam, acima de tudo, uma nova ordem social e política, criticando a existente e idealizando uma sociedade justa e livre, um governo representado por todos através da separação dos poderes. Pág. 105 SEPARAÇÃO DOS PODERES = O poderes executivo, legislativo e judicial não podiam pertencer á mesma pessoa. Como ficaria organizado o poder político segundo os iluministas? Poder executivo, legislativo e judicial. Vamos avançar para o que foi o Iluminismo em Portugal. Pág. 107 Se uma das metas do Iluminismo era governar para o progresso e felicidade do povo, o Marquês de Pombal foi capaz de aplicar algumas das ideias iluministas em Portugal. Senão vejamos. Infelizmente a ideia de progresso teve uma condição negativa: o sismo de 1755 que destruiu Lisboa. De facto, perante esta situação da Natureza, o Marquês de Pombal viu-se na obrigação de aplicar a sua capacidade racional de governar e procurar, ao mesmo tempo, resolver um problema e fazer progredir Portugal e satisfazer os portugueses.
No entanto, o Marquês de Pombal não quis aplicar o princípio da separação de poderes. Pelo contrário! O que fez ele em relação ao poder, Ou seja, qual foi a actuação do Marquês de Pombal em relação ao poder em Portugal na vossa compreensão? A partir de 1755 o Marquês de Pombal adoptou uma data de medidas que revolucionou o país inteiro tais como o aparelho administrativo militar e financeiro e reorganizou o funcionalismo público. O que pretendia o Marquês de Pombal com essas medidas? O que o Marquês de Pombal pretendia era centralizar ainda mais o poder nas suas mãos e com o poder governar no sentido de tomar as medidas necessárias ao progresso e felicidade dos portugueses! Portanto há aqui uma leitura dupla a fazer. Por um lado o Marquês de Pombal governou o país de uma forma ainda mais absolutista que o Rei D. João V, daí chamar-se a este tipo de poder: DESPOTISMO ESCLARECIDO OU ILUMINADO. Por outro lado, contrariamente ao que era na época do Absolutismo puro, o poder não estava associado a Deus mas à razão, e o monarca (Rei) deveria governar a pensar no bem-estar e progresso do seu povo. É portanto um misto de iluminismo e absolutismo levado à máxima expressão. Como concretizou o Marquês de Pombal a ideia de progresso e bem-estar da nação e do povo português? P. 107 e 109 Foi através da reconstrução da cidade de Lisboa após o sismo e da reforma do ensino. Estes são 2 exemplos concretos de como pôs em prática a Marquês de Pombal as suas ideias de progresso e felicidade com base na capacidade de melhorar através do pensamento ou da Razão!
Publicado em: 15 outubro, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    resposta do trabalho de historia 7 serie livro de datico Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Outro nome que o iluminismo recebeu? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    filosofia segunda-feira, 2 de junho de 2014
  1. Responda   Pergunta  :    a liberdade de expressão os iluminista Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    oq iluminismo Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    "A sociedade humana é construida a partir da interação entre os humens,e entre essesb e o meio em que vivem"... Por que essa interação gera conflitos? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    como aconteceu o iluminismo? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    explique de forma resumida e com palavras simples o que vc quis dizer nesse texto! Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual era o pappel do governo segundo os iluministas? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    a formacao do pensamento iluminista no seculo XVIII em contraposicao as ideias implantada na america latina Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO DA REVOLUÇÃO FRANCESA Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
  1. 3. bundinha

    iluminismo

    vou imprimir

    0 Classificação quarta-feira, 30 de março de 2011
  2. 2. jonata

    iluminismo

    e ai muito legal estes comentarios

    1 Classificação quarta-feira, 25 de agosto de 2010
  3. 1. D_eusa_

    COMENTEM

    COMENTEM PARA EU SABER A VOSSA OPINIÃO, E PARA SABER TAMBÉM SOBRE OS TEMASQUE MAIS VOS INTERESSA, E EM QUE DEVO MUDAR NA FORMA DE APRESENTAR OS RESUMOS!

    6 Classificação quarta-feira, 24 de outubro de 2007
X

.