Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Artes & Humanidades>Resumo de Caiam Mil, Caiam Dez Mil e Não Serei Atingido!

Caiam Mil, Caiam Dez Mil e Não Serei Atingido!

Resumo do Artigo   por:RilvanStutz     Autor : Rilvan Stutz
ª
 
CAIAM MIL, CAIAM DEZ MIL E NÃO SEREI ATINGIDO! Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita: tu não serás atingido. Salmos Cap. 91,7. A beleza da promessa de Deus para o Seu Povo se torna um dos mais lindo e saudável exercício para nossa fé. Através da palavra de Deus no versículo de Salmos Cap. 91, 7. Fortalecemos a certeza de Sua presença, da segurança e da força para sobrevivermos a tantas provações. O versículo mostra a presença de Deus na vida daqueles que O buscam, e encontram resposta e proteção. O versículo é uma pequena mostra do amor do Pai pelos seus. Registrado no Velho Testamento é nosso escudo até os dias de hoje. Nosso Deus é eterno, a fonte o alvo, pois o homem é insignificante no tempo e no espaço. A miséria do homem pecaminoso perante a face do Juiz e Guia do Mundo (7-12). Quando em situação tremenda, enfrentarmos a morte sem a esperança em Cristo (Rm. 8:24), somos inexistentes no plano do Pai. Porque na esperança fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança, pois o que alguém vê como o espera? Esta promessa tem nome e endereço é aplicável a aqueles que têm fé no Senhor, que vivem em comunhão com Deus e confiam nEle sob orientação e consolo. A promessa feita aos fiéis é supremamente aplicável ao Filho, observamos que no livro de Mateus (4:6-7), satanás quis torcer este versículo, separando-o do contexto da fé que gratuitamente nos foi dada. É impossível acontecer qualquer mal a àquele que pertence ao Senhor; as mais esmagadoras calamidades nada mais fazem do que encurtar a peregrinação do crente e aproximá-lo do seu galardão. As dificuldades são bênçãos numa forma oculta, as perdas o enriquecem, a doença lhe é um remédio, o desprezo do mundo é a sua glória, a morte lhe é a porta do céu.
Deus respondem aos que O procuram, mas a resposta nem sempre é a concessão das cousas que pedimos. O Apostolo Paulo pediu uma cura, mas recebeu algo melhor: uma aproximação do Senhor pela Sua graça (2º Co.7-10). Por termos dias curtos o livro de Salmos no Cap. 90: 12, diz: ensina-nos a contar os nossos dias, isto nos faz refletir que nossos dias são realmente curtos, temos que reconhecer que somos fracos mortais cujo futuro incerto deve colocar nas Mãos de Deus. Não podemos ficar debaixo da ira de Deus, lembremos constantemente que o pecado transforma vidas numa miséria sem trégua. Precisamos viver sob as sombras do Altíssimo, pois descansaremos à sombra do Onipotente, está é a promessa do Mestre. Devemos também dizer ao Senhor da Glória: Tu és meu refugio e meu baluarte, Deus meu em quem confio. “Que caiam mil ao teu lado, e dez mil a tua direita; tu não serás atingido!” Rogamos ao Pai que estejamos debaixo de Suas Asas de proteção. Que nossa fé, como a do Apostolo Paulo, se transforme em uma “rocha inabalável” e, vivamos sempre apossados de Suas promessas eternas. Seja sobre nós a graça do Senhor nosso Deus! Confirma sobre cada servo do Senhor Sua proteção e que seja a Sua vontade o caminho de nossas vidas. Amém. Diácono: Rilvan Stutz IGREJA PRESBITERIA DO RIO DE JANEIRO – RIO.
Publicado em: 12 agosto, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.