Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Como Fazer>Redação>Resumo de Qual a principal diferença entre os textos acadêmicos? Monografia

Qual a principal diferença entre os textos acadêmicos? Monografia

Resumo do Artigo Científico   por:PauloAOurives     Autor : Paulo de A. Ourives
ª
 
QUAL A PRINCIPAL DIFERENÇA ENTRE OS TEXTOS ACADÊMICOS?

A Monografia ou TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), é solicitado ao estudante universitário que está em vias de conquistar o título de Bacharel no curso escolhido.

Bem diferente do Artigo, a Monografia é apenas um trabalho mais bem elaborado do que o Artigo, pois além de possuir uma estrutura bem definida há ainda alguns pormenores a serem observados principalmente quando escrever ou formatar.

Mas, lembre-se, não é nenhum bicho de sete cabeças!


A MONOGRAFIA OU TCC

Inicialmente podemos afirmar que a monografia possui duas estruturas. A primeira é pré-textual e a segunda, que é a principal, chama-se textual.

Vou inicialmente falar da parte textual, pois ela possui em sua estrutura, os seguintes tópicos: introdução, desenvolvimento, conclusão e referências.

Na “Introdução” o aluno deverá escrever pelo menos de uma a duas laudas sobre o que versará o trabalho. É preciso salientar que como se trata de uma monografia, não existe a necessidade de se colocar a forma metodológica de como o trabalho será efetuado. Esta necessidade só é cabível aos Projetos de Monografia e de Tese.

Na segunda parte, que é o “Desenvolvimento”, se o leitor já leu o artigo anterior, que versa sobre “Artigo Acadêmico”, já sabe que aqui, não se utiliza a expressão “Desenvolvimento”, mas sim um título sobre o que ele versará de início. Em alguns trabalhos onde se aborda a questão histórica, normalmente se faz um retrospecto histórico nessa primeira parte, daí, que o título inicial pode ser: “História da Constituição no Brasil”. Subsequentemente o aluno irá desenvolver o seu trabalho, relatando outros dados. Mas caso haja necessidade de se colocar um capítulo extra dentro do inicial, o aluno deverá atentar para a questão da numeração dos capítulos e sub-capítulos (fato que irei abordar em outro artigo).

Devo esclarecer que uma monografia deve ter um mínimo de 50 laudas. Há casos em que a monografia possui menos laudas do que isso, mas isso é mero detalhe, de acordo com o curso e a especialização do aluno.

Finalmente, chegamos a “Conclusão”, onde o aluno irá concluir o seu pensamento e pôr suas idéias e conceitos sobre o que ele abordou. Normalmente uma boa conclusão deve ter pelo menos de duas a cinco laudas. Dependerá muito, do grau de envolvimento do aluno com o trabalho e da complexidade do mesmo. Há conclusões que são escritas com até 10 laudas.

E assim, chegamos a “Referência”.

É preciso salientar que nessa parte, e dependendo do trabalho, o aluno pode ter tido ao longo do trabalho contato com diversos meios de pesquisa. Seja através de livros, revistas (periódicos), documentos oficiais, legislação, pesquisas encontradas na internet, entrevistas com pessoas sobre um determinado assunto, e até mesmo referências musicais. Houve um período em que essas referências deveriam vir separadas, por tipo, mas atualmente a ABNT, padronizou tudo como “Referência”, e cabe ao aluno, colocar todas em ordem alfabética e respeitando as informações colhidas.

Por isso, deixo apenas um conselho para os estudantes que estão iniciando sua jornada universitária. Mesmo que estejam no primeiro ano do curso, procurem se informar na biblioteca da faculdade ou universidade, quais são os requisitos para se fazer uma monografia ou TCC, e se há algum livro disponível sobre as normas da faculdade. Porque apesar da ABNT, formatar e formalizar os textos acadêmicos, alguns detalhes são opcionais às faculdades para apresentação do texto, como por exemplo a obrigatoriedade da fonte ser “Times New Roman ou Arial”.


A PARTE PRÉ-TEXTUAL


Normalmente a parte pré-textual, possui 8 páginas que não são numeradas. Mas quando há necessidade ou foi inserido uma imagem, figura, tabela, na monografia, o aluno deverá acrescentar uma página específica na parte pré-textual com o título de “Figuras ou Tabelas”.

Nesse caso, com a inclusão dessa página, a parte principal (parte textual) deverá iniciar sua numeração pela página número 9. E aqui cabe muita atenção para que o aluno possa anotar com cuidado o número das páginas onde estão os títulos para que o “Sumário” possa ser fiel ao que foi publicado.

A parte pré-textual é composta de alguns itens obrigatórios, que são: capa, folha de rosto, resumo, resumo em língua estrangeira e sumário. Além disso essa parte possui 10 itens que são opcionais e podem ou não ser inclusas na parte pré-textual, que são: lombada, errata, folha de aprovação, dedicatória, agradecimentos, epígrafe, lista de ilustrações, lista de tabelas, lista de abreviaturas e siglas, e lista de símbolos.


A PARTE PÓS-TEXTUAL


Finalmente há ainda no corpo de uma monografia, a parte pós-textual. Ela possui como obrigatoriedade apenas a “Referência”, que já foi citado na parte textual. Além disso há a opção do aluno pôr ou utilizar ainda do: glossário, apêndice, anexo e índice.


CONCLUSÃO


Para melhor compreensão, note que alguns itens obrigatórios e opcionais foram utilizados por mim como referência para um trabalho completo de monografia. Eu pus assim, porque normalmente são os itens que mais aparecem em uma monografia e certamente a maioria dos estudantes irá utilizar. Mas caberá a cada um, a opção de obedecer as normas da ABNT conforme o que está estabelecido ou acompanhar o manual da faculdade, que possui algumas variações das normas da ABNT.

Publicado em: 04 abril, 2012   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.