Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Entretenimento>Filmes>Resumo de Tempo de Despertar

Tempo de Despertar

Resumo do Filme   por:BrunoPrz    
ª
 
O filme “Tempo de despertar” nos chama a uma reflexão sobre a prática da medicina, sobretudo no que tange o lidar com o paciente e seus medos, desejos, sonhos, esperanças, sentimentos, enfim, como lidar com um ser humano, e não apenas com um ser biológico, portador de uma patologia. Nos mostra, também, a limitação da ciência, bem como a dos médicos, no que se refere ao tratamento de certas doenças.
É fantástica a maneira como o Dr. Sayer (vivido por Robin Williams), ao ser contratado, revoluciona todo o ambiente. Imediatamente após a sua chegada, percebíamos os profissionais daquele lugar acomodados, pois acreditavam que não havia possibilidade de cura para os doentes. Era nítido o distanciamento entre os profissionais de saúde e os enfermos, o que é triste de se ver, pois mesmo esse tipo de paciente precisa de cuidado, carinho, atenção. O comportamento do Dr. Sayer, nos ensina uma forma adequada para cuidar de um semelhante. Interagindo com os pacientes – que pareciam alheios a qualquer tipo de influência do ambiente que os cercava – o médico notou que eles “destravavam” quando estimulados por um ritmo musical ou pela história de um livro, por exemplo. Estas constatações, ao longo do filme, funcionaram como um combustível, que moveu o Dr. Sayer a buscar novas alternativas que pudessem reabilitar os pacientes. Suas atitudes contagiavam os enfermos, bem como seus colegas de trabalho.
Conforme o Dr. Sayer – convivendo com os pacientes e a família destes, além de estar sempre buscando dados, pesquisas, opiniões de outros profissionais – consegue alcançar credibilidade para suas ideias, ele convence a equipe do hospital a administrar um novo medicamento nos pacientes. O resultado inicial é fantástico! Os pacientes pareciam estar recuperados. A empatia, fator fundamental para o exercício da medicina, é percebida. Em vários instantes, o Dr. Sayer se coloca no lugar de Leonard (interpretado por Robert De Niro) e, analisando os fatos na óptica do seu paciente, compreende o seu desejo de querer sair, passear, recuperar o tempo perdido por conta da doença. Este desejo, entretanto, é negado pela equipe do hospital, já que não sabiam, ao certo, como seria a evolução do estado de saúde do paciente.
Apesar de ter se mostrado como um exemplo de profissional, o Dr. Sayer não foi capaz de curar, de fato, os pacientes, livrá-los do mal que os afligiam, nem mesmo utilizando o novo medicamento desenvolvido. Este fato nos priva de um final feliz, mas tem a importante função de nos lembrar de que a onipotência do profissional de medicina não existe. O médico, portanto, tem que ter em mente que mesmo se sempre agir de maneira correta, fazendo todo o possível pelos seus pacientes, mesmo assim as perdas serão inevitáveis. Ele tem, portanto, que aceitar que a morte (que não é uma temática abordada pelo filme, mas se encaixa satisfatoriamente neste argumento) é apenas o fim do ciclo da vida, e ele não é soberano quanto a ela.
Publicado em: 05 junho, 2012   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    QUAL E A SEQUENCIA DO FILME O FINAL DE TUDO? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    quero saber o nome do transtorno do filme e 3 sintomas? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Isso é um resumo ou um relatorio?? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.