Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Entretenimento>Filmes>Resumo de Sempre ao seu lado

Sempre ao seu lado

Resumo do Filme   por:Yumizinha    
ª
 

O filme que trata da história da amizade entre o homem e o cachorro é baseado em fatos reais. É um filme para quem não tem vergonha de chorar, porque meu amigo, machão ou não, é fato, você vai se debulhar em lágrimas. Voltando para o longa, a história (verdadeira) de Hachiko e seu dono se deu em Tóquio, Japão. E “Sempre ao seu lado” é uma readaptação americana, que por sinal, com o ator Richard Gere no papel do dono de Hachiko é um incentivo a mais para assistir. Parker é um professor universitário que há alguns anos perdeu seu filho, ainda criança, e com esse trauma também perdeu um pouco da alegria de viver. Hachiko, por sua vez, é um cachorro da raça Akita, uma das mais populares do Japão, que no filme não se sabe direito sua origem, mas chegou como uma encomenda na estação de trem em Nova Iorque, mas jamais chegou ao seu destinatário. Perdido, o Akita, ainda filhote, encontrou Parker, que contra a vontade de sua esposa, levou para sua casa.
Após o filhote crescer, começou a escapar da residência e seguir seu dono até a estação de trem, onde “se despedia” e ao retornar, adivinhem quem aguardava Paker? Hachiko! É, o leal amigo estava lá para recebê-lo todos os dias, até que um dia Parker vai até a universidade e não retorna mais. Nesse momento, morre o cachorro e nasce a lenda da lealdade e amizade entre o Akita e seu dono. E como Ken (Cary-Hiroyuki Tagawa) explica no filme, “você não escolheu Hachiko, ele escolheu você”. Vale a pena assistir, é uma história que realmente emociona e nos faz refletir sobre a amizade que possuímos na vida, fazendo nos perguntar: “Quem é o nosso Hachiko?”.
A direção do sueco Lasse Hällstrom (Regras da Vida, Chocolate, O Vigarista do Ano) carrega no drama, incorporando elementos tipicamente ocidentais que certamente não estiveram na versão japonesa do filme, Hachiko Monogatari, sucesso de 1987. É o caso da brincadeira de pegar a bolinha, que Ken explica ser algo completamente sem sentido para Hachi. "Cachorros japoneses não pegam a bolinha apenas para agradar seu dono ou ganhar um biscoito", explica Ken em um prenúncio para uma das cenas mais emocionantes do filme.

Publicado em: 09 maio, 2011   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.