Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Entretenimento>Filmes>Resumo de Diários de Motocicleta

Diários de Motocicleta

Resumo do Filme   por:MauricioLimeira     Autor : Walter Salles
ª
 
Sinopse. Drama social. Argentina. Em janeiro de 1952, o estudante de medicina Ernesto Guevara e o amigo, o bioquímico Alberto Granado, lançam-se numa viagem pelo continente latino-americano, a fim de conhecer aquilo que só sabem dos livros. Montados numa motocicleta que, apesar de batizada como "La Poderosa", está caindo aos pedaços, a dupla segue da Argentina até a Venezuela, percorrendo em 4 anos os 8 mil quilômetros que separam os dois países. A viagem, que nos primeiros momentos renderia divertidas situações, se revelará uma experiência além do passeio turístico, quando Guevara e Granado, ao travarem contato com a relação desigual entre os mineradores chilenos e a multinacional que controla a região, começam a conhecer a miséria e a injustiça, gerando um sentimento de revolta que só fará crescer até a chegada ao leprosário de San Pablo, na Amazônia peruana.

Comentário. O Ministério da Saúde poderia advertir a nossos jovens que viagens pelo interior do país (ou do continente) fazem bem para a formação social. Aos 23 anos, Ernesto Guevara de la Serna era um tímido rapaz de classe média, longe do mito que se tornaria, ao liderar com Fidel Castro a Revolução Socialista cubana e tomar parte na luta revolucionária internacional, até ser executado em 1967, na Bolívia. Hoje Guevara é símbolo de rebeldia no mundo inteiro, e sua cara barbuda e adornada com uma boina se tornou a imagem mais estampada pelas camisetas do planeta. Foi essa viagem, realizada com o amigo Alberto, que germinaria no estudante o sentimento de revolta contra a miséria, a desigualdade e a injustiça, seja pelo contato físico ou pelas leituras que o acompanhavam. Mais do que revolta, havia a determinação em mudar, raridade em tempos atuais de ignorância e individualismo. Hoje, tudo que o futuro revolucionário combatia piorou, com a miséria do interior se espalhando para a cidade. Por que não surgem então dezenas de "Ches", um em cada esquina? Porque o leprosário, que antes era confinado em ilhas distantes, agora está dentro de nós.

Como diretor, o brasileiro Walter Salles parece sentir-se em casa. Trabalhando novamente com o que deve ser seu gênero favorito, o filme-de-estrada, que já lhe rendeu a obra-prima Central do Brasil, Salles ampliou seus horizontes, trazendo ao público a beleza assustadora da paisagem de nossos vizinhos latino-americanos.

Há muito de familiar em Diários de Motocicleta (Diarios de Motocicleta, Argentina / EUA / Chile / Peru / Brasil / Reino Unido / Alemanha / França): estão lá a paixão pelo ser humano, o prazer em descobrir e revelar, a câmera intimista, mostrando de forma quase romântica (ainda que documental) aquela gente que nos passa despercebida e cujo simples ato de sobreviver as faz maiores do que os que as roubam, maltratam ou apenas ignoram. O rito de passagem de Guevara e Granado é também tema recorrente, sendo que aqui foi maior a preocupação com que essa passagem fosse a mais sutil possível, visto que o personagem retratado é figura histórica cujo destino o público já conhece. Assim, procurou-se de humanizar a figura do Che, e para isso Diários de Motocicleta inicia leve e engraçadinho. Trapalhadas como as quedas da moto, confusões com mulheres (e seus respectivos maridos), o tiro no pato, o cachorrinho chamado Come Back. Tudo isso serve para gerar identificação com os protagonistas e desviar a expectativa para a gradual mudança narrativa. O filme vai ficando denso, primeiro com a senhora doente de que Guevara vai tratar. Depois com os mineradores. Quando se dá conta, o espectador está diante de um protagonista dizendo que "uma revolução sem armas é impossível".

Diálogos de Motocicleta tem uma narrativa correta, até demais. O início previsível ocupa o tempo até a segunda metade do filme, e não têm sustentação própria. Chega a surpreender como um narrador sensível e inteligente como Salles não foi capaz de construir momentos melhores do que a estada dos protagonistas na casa de Chichina, a namorada de Ernesto. E é curioso como, e isso já foi dito, ao tentar humanizar o mito, Salles só fez aumentá-lo, afastando-o de qualquer complexidade. Por mais que bem interpretado por Gael García Bernal, o Guevara de Walter Salles é muito bonzinho, muito ético e valente. Não tem indecisões, jamais recua, não erra, e ainda arrisca-se nas águas geladas de um rio, à noite, para se juntar aos leprosos. Mais um pouco e Guevara caminharia sobre as águas. Seus únicos momentos de humanidade são durante as crises de asma, uma delas fortíssima e angustiante, com o barulho da respiração pesada por pouco não levando o espectador a sufocar junto com o protagonista.

Há em Diários... uma proposta claramente política, e não é glorificar Che Guevara. No único discurso proferido, Ernesto faz uma declaração de amor à América Latina, e incita freiras, médicos e leprosos rumo à necessária integração do continente. A mensagem, oportuna e atual, já vinha sendo transmitida desde o começo do filme / viagem, e ao explicitá-la Salles obteve seu momento de maior emoção e importância, confirmando-as em sequências como as das imagens em preto-e-branco das pessoas vistas pelo caminho. A destacar, ainda, a atuação de Rodrigo de la Serna, primo em segundo grau de Che Guevara na vida real: seu Alberto Granado, mais do que engraçadinho, é tudo aquilo que falta a Ernesto. Com demonstrações de fraqueza, egoísmo e sarcasmo alternando com a profunda admiração pelo amigo, Alberto termina por tornar-se figura mais convincente do que o próprio Che.
Publicado em: 11 outubro, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    quais os paises percorridos por Ernesto Che Guevara e Alberto???? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Quais foram os países percorridos por Ernesto "Che" Guevara e Alberto? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    principais cidades e pais que eles passaram Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    porque ele ficou conhecido como che guevara? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Ohh ajuda eu Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    Eu preciso de uma resenha crítica do filme Diario de Motocicleta? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    o que você conseguiu perceber sobre as paisagens mostradas no filme ? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    porque contar uma história de Che Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    foi um filme bom Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    qual foram os paises que eles passaram Veja tudo
Comentário Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.