Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Negócios E Finanças>Contabilidade>Crítica de Demonstração do Fluxo de Caixa - Metódo Direto e Metódo Indireto

Demonstração do Fluxo de Caixa - Metódo Direto e Metódo Indireto

Crítica do Artigo   por:lmonline    
ª
 
Existem dois métodos para a elaboração da DFC: o método direto é o método indireto.

Método Direto

O método direto consiste em apresentar os recebimentos e pagamentos da empresa referentes às suas operações.

Apesar de ser mais trabalhoso é, também, de mais fácil entendimento para os usuários não contadores, por isso o Financial Accounting Standards Board (fasb), órgão normatizador das práticas contabéis americanas, recomenda que as empresas façam a DFC nesse método. Conta também a seu favor o fato de as informações de caixa estarem disponíveis diariamente.

MÉTODO INDIRETO

Já o método indireto consiste em se partir do lucro líquido, ajustando-o, ou seja somando ou subtraindo dele os itens que afetam o lucro, mas não afetam o caixa ou vice-versa.

É o método mais utilizado nos países onde há a obrigação legal para apresentação do DFC, pois além de sua fácil elaboração, ele permite que o usuário confira os dados apresentados com as demais demonstrações contabéis, gerando, assim, maior credibilidade à demonstração.

Caso seja utilizado o método indireto para apurar o fluxo de caixa gerado pelas operações, exige-se a evidenciação em notas explicativas da conciliação deste com o lucro líquido do período. Essa conciliação deve refletir, de forma segregada, as principais classes de itens a conciliar. É obrigatório evidenciar separadamente as variações nos saldos das contas clientes, fornecedores e estoques.

No caso do método indireto, é exigido que conste nas notas explicativas os valores dos juros e do imposto de renda pagos.

Concluindo-se, por essas exigências, no caso da DFC pelo método direto, a empresa deverá elaborar um complemento de informações que, essencialmente, são evidenciadas na DFC pelo método indireto. Talvez, por esse motivo, as empresas optem por demonstrar o fluxo de caixa pelo método indireto, pois as informações complementares em notas explicativas são mínimas.

Podemos dizer que a DFC pelo método indireto faz a conciliação entre o resultado apurado pelo regime de competência e o apurado pelo regime de caixa.
Publicado em: 27 janeiro, 2012   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    Saldo Conta Corrente negativa, na DFC, pode ser entendido como Empréstimos junto ao Banco? Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.