Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Livros>Poesia>Resumo de Rico homem, pobre homem

Rico homem, pobre homem

Resumo do Livro   por:IvanMelo     Autor : T.C. Jupp
ª
 

Capitulo 01

A carta de Adam

Um dia um carteiro veio a minha vila. Trouxe uma carta de meu filho. "O seu nome é Adam?"- perguntou-me. "Sim", eu disse. "Eu tenho uma carta pra você. Adam da vila de Minta". "Uma crta pra mim? De quem é?" O carteiro olha o envelope novamente e diz: "de Saul".
"Marta!" Recebemos uma carta de nosso filho Saul".
Eu não sei ler ou escrever. Eu moro em uma pequena vila. Saul deixou a vila há dois anos atrás e as minhas três filhas estão casadas. Todos queriam ouvir minha carta. O Professor abriu o envelope e leu.
"Querido Pai, estou morando em Londres. Trabalho em uma fabrica. O trabalho é muito dificil. Mas o pagamento é bom. Estou bem e moro com algumas pessoas. Estou mandando $100 nesta carta. Amo vocês. Saul". Você está enganado. "Não, eu não estou enganado. Aqui está o dinheiro". E me deu um pedaço de papel. "O que é isso?" - Perguntei. "É uma ordem de pagamento. Vá à Darpur. Entregue esta ordem de pagamento ao Oficial do Posto de serviço e ele lhe dará o dinheiro".Todos sorriram e disseram: "Adam, você agora é um homem rico. Você pode comprar muitas coisas para a sua fazenda e para a sua casa". "Eu posso comprar alguma comida e bebida em Darpur e fazer uma festa para todos vocês, meu amigos".

Capitulo 02
Adam vai a Darpur
Na manha seguinte eu acordei muito cedo. Eu tinha que ir a Darpur. Coloquei as minhas melhores roupas. Eu andei dez milhas até a estrada principal. Esperei por duas horas. Então o onibus chegou. O onibus levou tres horas. Eu não vinha muito a Darpur. Eu só vinha ao armazem comprar algumas coisas. O armazem do Rick. Haviam muitas pessoas no Posto. Eu perguntei sobre ordens de pagamento. Um homem indicou-me um guichê. Tinha uma fila enorme e eu fiquei atrás. Finalmente chegou a minha vez; o oficial não me atendeu. "Por gentileza" - eu disse. "É a minha vez. Sou o próximo!" "Estou muito ocupado. Você vai ter que esperar". Então eu esperei. Finalmente o oficial me olhou. "O que vocè quer?" Eu dei-lhe minha ordem de pagamento. "Cartão de identidade" - ele disse. "Desculpa, não estou entendendo" - eu respondi. "Seu cartão de identidade", o oficial disse outra vez. "Me dê o seu cartão de identidade". "O que é um cartão de identidade?" - eu perguntei. "Seu cartão de identidade descreve você, seu nome, seu endereço. Eu não conheço você. Quem é você?" "Quem sou eu? Todos me conhecem. Eu sou Adam da vila de Minta. Eu não preciso de um cartão de identidade. Eu não tenho um cartão de identidade". "Quem é o senhor? Onde é Minta?" "Me dê o meu dinheiro", - eu disse. O oficial olhou cansado e disse: "mostre a sua identidade. Eu não sei quem você é". O oficial devolveu a minha ordem de pagamento. "Onde eu arranjo um cartão de identidade?" Eu pergunto. Ele não queria falar comigo. "Vá ao Ministério do Interior", um homem diz. E me mostrou a saida.

Capitulo 03

Um cartão de identidade

Eu falei com outro oficial. Ele me disse como fazer para ter o cartão de identidade. "Traga tres fotos. Volte amanhã". "Amanhã? Eu não posso ter o meu cartão hoje, por favor? Eu moro em Minta, levo cinco horas pra vir até Darpur e sou velho". "Sim, volte amanhã". O fotografo estava dormindo. " Eu preciso de tres fotos para o cartão de identidade". "E eu tiro muito boas fotos. Venha e veja a minha camera. Eu sou um artista. Mas, primeiro o dinheiro. Venha amanhã de manhã retirar as fotos". "Eu quero as minhas fotos agora, imediatamente", - eu disse. "Não seja estupido! As fotos levam 24 hs para ficarem prontas." Volto à estação. Pego o onibus. Marta e os meus amigos esperam por mim. "Cadê o dinheiro?" Marta pergunta. "Eu não tenho o dinheiro. Amanhã eu volto a Darpur novamente". Eu estava muito cansado e cai na cama.
Capitulo 04

Sem fotos

Acordei tarde. O sol ja estava alto. Todos os onibus para Darpur partem bem cedo. Então eu fiquei em casa. na quarta-feira. Eu estava muito cansado. Na quinta eu fui a Darpur novamente. Bati na porta da casa do fotografo. Ninguém veio ate a porta. Bati novamente com a minha bengala. Uma mulher abre a porta. "Quem é você? O que você quer?" Ela pergunta. "Eu posso pegar as minhas fotos, por favor?" "Suas fotos? Eu não tenho fotos". Ela responde. "Eu vim aqui na terça-feira. Onde está o fotografo?" Eu pergunto."Ele está fora. Não está aqui". E a mulher fecha a porta. Eu grito com ela, "Eu vou ficar aqui esperando por ele." Depois de muito tempo o fotografo chega. Ele me olha com medo e cheirando a cerveja. "Me dê as minhas fotos", eu digo. "Eu não conheço você. De quê fotos você está falando?" "Me dê as minhas fotos ou o meu dinheiro imediatamente". "Suas fotos? Seu dinheiro? Do que você está falando? Mostre-me o recibo." "Que recibo?", eu pergunto." "Você não me deu nenhum recibo", eu gritei. E bati violentamente nele coma minha bengala. Eu sou velho mas ainda sou muito forte. O fotografo caiu. Ele gritava: "socorro! Socorro! Este velho vai me matar". E eu bati de novo. Muitas pessoas correm até o local. Dois homens me seguram. Os policiais chegam. O fotografo grita aos policiais:" este velho me bateu tres vezes com a sua bengala. Ele é um ladrão e um assassino. Ele quer meu dinheiro." "Senhor", - disse o policial. "Volte para a sua vila. Não venha aqui e brigue. Fique longe de Darpur". E me jogaram na rua.

Capitulo 05

Adam troca sua ordem de pagamento

Eu contei a minha historia à todos na vila. Todos ficaram muito bravos. O Professor veio até mim e disse: "Adam, eu acho que posso te ajudar. Aqui está uma carta para o Sr Shet." "Quem é o Sr. Shet?" Eu perguntei. "Talvez ele possa te ajudar". Eu peguei a carta e agradeci ao Professor. Então eu viajei para Darpur novamente no Sabado, Depois de muito tempo eu encontrei a casa do Sr Shet. A porta foi aberta por um homem alto. "Posso ver o Sr Shet?", eu perguntei. "E quem é você?", o homem pergunta. "Eu tenho uma carta pra o Sr Shet." "Eu posso ver a carta, por favor. O Sr Shet não esta aqui no momento, mas, pode deixar a carta que eu entrego". Eu entreguei a carta ao homem e esperei. Um carro preto enorme parou e um homem entrou na casa. Muito tempo depois, o homem alto abre a porta de novo. "Venha aqui e me siga, por favor". Eu segui o homem alto.Nós entramos em uma sala enorme. Um outro homem estava na sala. Ele estava bebendo. "Este é o Sr Shet", diz o homem alto. "Eu sou Adam da vila de Minta." Eu respondi. "Posso ver a ordem de pagamento?" ele diz. Eu entrego a ordem de pagamento a ele. "Esta ordem não vale". "Não vale?" Eu pergunto.O Sr Shet olha a ordem e diz: "o seu filho não entende de ordens de pagamento. Esta nota não vale para o nosso pais. Essa ordem de pagamento é muito velha. Esta vencida." Eu não disse nada. O Sr Shet me devolve a ordem de pagamento. Então o Sr Shet sorri e diz: "eu gosto muito de ajudar as pessoas. Me dê sua ordem de pagamento." O Sr Shet sai da sala. Depois de alguns minutos, o homem alto entra na sala e me entrega um envelope. Eu abro o envelope e pego o meu dinheiro. Eram apenas $10. Eu me senti velho e pobre novamente.
Publicado em: 29 maio, 2007   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.