Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Livros>Mitologia E Literatura Antiga>Resumo de O GATO, O CACHORRO E O HOMEM- FÁBULAS

O GATO, O CACHORRO E O HOMEM- FÁBULAS

Resumo do Livro   por:Ramacheng     Autor : Esopo
ª
 
Gato e Cachorro? Hehehe, dá briga! Mas nem sempre! Esta curta fábula de Esopo ficou despercebida em seus trabalhos, considerada como mais uma reprimenda de Zeus ante reclamações de uns animais contra os outros. E nem os gatinhos reclamaram do esquecimento. Diz Esopo que: Zeus respondeu com uma reprimenda ao gato que foi ao Olimpo reclamar que o seu inimigo de caçada, o cão, foi recomendado aos homens e eles não receberam essa graça. O deus do raio e do trovão lhe disse: já te dei bastantes dons, portanto usa-os! Lembram da fábula sobre o Cão e seu Dono? Esta é o complemento.  Em alguns fabulistas e tradutores esta reprimenda vale como equiparação a outras ordens divinas de conformar-se com o que Deus deu. Em outros chega-se a explicar que era a razão pela qual o gato não reconhece a casa em que foi acolhido como sua casa. Fedro só registra em diversas passagens: "briguentos como cão e gato". La Fontaine conta essa inimizade de diversas formas, por exemplo em "O gato, a raposa e o cão". Restauremos a fábula como foi contada na Babilônia citando os deuses sumerianos. Diz essa tradição que quando Shamash mandou o gato usar seus dons em vez de reclamar para ser recomendado aos homens e ter um cantinho em suas tendas, já era velho concorrente a comer os ossos e carnes dados pelos humanos ao seu fiel companheiro cão. E quando dava briga, muitas vezes crianças e até adultos defendiam o belo bichaninho. Sentindo-se defendido, dava um passinho a mais e passava para dentro da casa. Mais à frente ficava brincando com as pedrinhas e objetos dos pequenos. Depois ia dormir na cama dos seus hospedeiros. Por fim subia ao colo e ali se aninhava para ser cuidado pelos anfitriões. Como ele gostava da carne dos camundongos e dos passarinhos, outras vezes era chamado e cuidado para que assim defendesse as reservas de grãos dos humanos. Mas, como ele considerava isso tudo como sua conquista, nunca reconheceu a casa em que foi acolhido como obrigação de ali permanecer. Assim, a moral da história era para terem cuidado com quem vai entrando em nossa vida por seus interesses. Sobre gatos ainda há as supostas ligações com bruxarias e se anotam casos de premonições de catástrofes. Falam tradições populares sobre uma possível capacidade de ser para-ráios contra mau olhado. Outros ainda colocam o gato preto como trazendo azar. Contaremos com mais vagar outras lendas de onde surgiu o ratinho de Disney ao avesso dos costumes e ganhando sua posição de paladino do bem... E os passarinhos? Também há lendas de que os pássaros vieram combater o gato (professor pardal, de onde?). É assim que falaremos depois sobre essas lendas tidas como entretenimento, porém sempre eram contadas para servir de lições. Quê lição podemos tirar ainda dessa fábula do gatinho usando seus dons? Sim! Muito cuidado temos que tomar com pessoas (principalmente políticos, né?) que vão aos poucos ganhando confiança da gente e quando não têm nada mais a ganhar abandonam a casa em que foram bem recebidos...

Publicado em: 05 novembro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    vida e obra de junqueira freire,outro poeta ultrarromãntico Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    o que isso tem aver com eu quero Veja tudo
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.