Procurar
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Criar uma conta no Shvoong começando do zero

Já é um Membro? Entrar!
×

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

ou

Não é um membro? Registrar-se!
×

Registrar-se

Use sua conta no Facebook para registrar-se mais rápido

ou

Entrar

Entrar usando sua conta no Facebook

Shvoong Home>Livros>Biografias>Resumo de Guimarães Rosa

Guimarães Rosa

Resumo do Livro   por:monicabaier     Autor : João Guimarães Rosa
ª
 
João Guimarães Rosa, escritor brasileiro, nascido em Cordisburgo, estado de Minas Gerais, um dos mais conhecidos escritores do romance regionalista brasileiro, sendo aclamado internacionalmente. Suas obras foram traduzidas para dezenas de línguas.

O conjunto de sua obra comporta romances de grande alcance como Grande Sertão: Veredas (publicado em 1956) e volumes de contos e pequenas novelas, entre os quais citam-se Primeiras Estórias (1962), Sagarana (1956) e Corpo de Baile (1956). Também escreveu poemas, embora estes não chegaram a ser publicados em vida, mais só recentemente através do volume Magma. Sobretudo seu romance Grande Sertão: Veredas é notável ao ser apontado pela crítica literária com obra inaugural da literatura universal no Brasil.

Recebendo ensino básico em sua cidade natal, posteriormente partiu para a capital mineira, completando ali sua educação no ensino secundário e já revelando tendência às Letras. Formou-se em Medicina, passando a exercer a profissão pelas cidades do interior mineiro.

Neste período, além de tomar contato íntimo com o modo de vida do interior, foi autodidata: realizou estudos de alemão e russo por conta própria. Portanto a fase em que exerceu a medicina, tendo feito inúmeras anotações de campo sobre os costumes regionais das cidades por onde passou e em que experimentou fortes vivências, foi um aspecto fundamental na posterior construção de sua literatura.

Em 1934, ingressa na carreira diplomática ao ter obtido aprovação em concurso para o Ministério do Exterior, partindo então para a Alemanha com cônsul-adjunto. Também foi secretário da embaixada em Bogotá e conselheiro diplomático em Paris.

Quanto à vida literária, Rosa inscreveu seu livro de poemas, Magma , em concurso literário, perdendo colocação. No resultado final do concurso, vence em primeiro lugar um poeta hoje obscuro, no entanto Rosa obteve menção honrosa. Ainda assim, o escritor permaneceria com relativa distância dos círculos literários até o grande êxito das publicações de Grande Sertão: Veredas e Corpo de Baile, em 1956.

O romance de Rosa, publicado em 1956 porém já iniciado há anos anteriormente à publicação (Rosa trabalhou arduamente na dilapidação desta obra, efetuando inclusive modificações no decorrer de suas primeiras edições), apresenta situações ímpares na literatura brasileira: a personagem Diadorim, que ao final da narrativa terminamos por conhecer seu segredo, sendo uma moça disfarçada em jagunço para ocultar-se e vingar a morte do pai, o ex-jagunço Riobaldo, amigo de Diadorim, no papel de narrador, dando abertura à sua estória ao duvidar filosoficamente (com a cor regional) a existência do Diabo, e as situações-limite da narrativa como o conflito interior de Riobaldo em sua relação com Diadorim e o pacto com o demônio empreendido pelo narrador-personagem no intuito de vencer seu inimigo Hermógenes.

Visando constantemente o universo mítico clássico, Rosa constrói suas narrativas procurando beirar simultaneamente o real e o surreal, situando-se na linha tênue a realidade e o imaginário.

A obra de Guimarães apresenta duas principais qualidades literárias até então ausente na literatura regionalista brasileira: a universalidade no tratamento do tema regional e a preocupação com a própria recriação da linguagem. Possuindo cultura clássica consolidada, Rosa encontra nos elementos do cotidiano regional os motivos mais universalizantes das narrativas míticas antigas.

Por outro lado, Rosa não se contentou em apenas criar literatura, mas dedicou-se com afinco à recriação da própria linguagem: em suas obras, muitas das palavras são criadas pelo escritor através de um vasto conhecimento das raízes da língua. Por exemplo, o nome do volume Sagarana provém da fusão entre um radical greco-latino e um radical do Tupi, já apresentando um elemento significativo em sua obra: a fusão do universal com o regional, ou seja, a recriaçãoda linguagem também trabalha para o aspecto da universalização do regional.

Ainda mais, a inovação na linguagem em Rosa procura através do uso de vocabulário às vezes insólito, com neologismos e arcaísmos, uma revitalização de uma linguagem literária: os ricos recursos de sua prosa, encontram-se ainda elementos de musicalidade poética, incluindo aspectos consoantes entre o estilo cadencial medieval e a cadência da fala regional.

Muito de sua obra, de tão rica e densa, ainda permanece como enigma a ser decifrado pela crítica literária. Guimarães Rosa faleceu em 1967, no Rio de Janeiro, dias após tornar-se membro da Academia Brasileira de Letras. Entre o conjunto de obras que legou à tradição literária brasileira, estão: Tutaméia: Terceiras Estórias (1967), Estas Estórias (publicação póstuma, 1969) e Magma (volume de poemas, publicação póstuma datada apenas de 1997).
Publicado em: 25 janeiro, 2008   
Por favor, avalie : 1 2 3 4 5
  1. Responda   Pergunta  :    quantas obras ele já escreveu? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    não sei domingo, 20 de novembro de 2011
  1. Responda   Pergunta  :    ele foi o maior escritor de todos? Veja tudo
  1. Responda   Pergunta  :    quimaraes rosa ja´tranzou ? ( 1 Responda ) Veja tudo
  1. Responda  :    nao sei terça-feira, 9 de agosto de 2011
Traduzir Enviar Link Imprimir
X

.